Ciências e Tecnologia » Astrofísica e Astronomia » Antares | A Gigante Vermelha de Scorpius – Escorpião

Antares | A Gigante Vermelha de Scorpius – Escorpião

Antares é uma estrela supergigante vermelha de classe M, e que está chegando ao final de sua vida útil. Uma vez que não houver mais combustível para queimar, ela irá entrar em colapso e explodir formando uma supernova – “O momento em que seu brilho irá se igualar com o brilho do resto de toda nossa galáxia” – Dizem os astrofísicos Paul Butterworth e Mike Arida da NASA.

A estrela está entre as 20 estrelas mais brilhantes visíveis no céu noturno da Terra, apesar de seu brilho variar um pouco, cerca de 0,88 a 1,16 em magnitude aparente. Além disso, ela tem uma pequena estrela vizinha (Antares B) que se mostra com uma branco-azulada e às vezes é chamada de “uma pequena centelha de brilho de esmeralda.”, devido ao brilho verde que é observado com telescópios amadores.

Em foguetes modernos, Antares era o nome do módulo lunar na Apollo 14 missão à Lua, e que também é o nome de um foguete que está sendo desenvolvido pela Orbital Sciences Corp

A estrela vermelha Antares no inferior esquerdo, perto do aglomerado estrelar M4

A estrela vermelha Antares no inferior esquerdo, perto do aglomerado estrelar M4

Localizando Antares no Céu

Antares, também chamada de alfa, é uma estrela de destaque na constelação Scorpius (Escorpião), uma constelação que é visível no céu do sul a noite e na maioria dos locais no Hemisfério Norte. Antares está à de cerca de 604 anos-luz da Terra. A gigante possui um raio de 700\,R_{\odot} ou seja 700  vezes o raio do sol, grande o suficiente para engolir a órbita de Marte, se estivesse localizada no lugar do sol em nosso sistema solar.

Localizar Antares no Céu - Constelação de Escorpião

Localizar Antares no Céu – Constelação de Escorpião

E fácil de detectar Antares em uma noite de verão. É a estrela mais brilhante – e distintamente de cor avermelhada. Se você olhar para o sul no início da noite, do final da primavera ao início do outono, é provável que você aviste Antares, você deve observar a sua cor avermelhada. E você procurar um aglomerado estrelar pequeno, que é vizinho à estrela conhecido como M4 – logo à direita de Antares.

Apesar do seu tamanho, a densidade global da Antares é inferior a uma milionésima do que a do sol, com todo esse tamanho a massa da gigante é de apenas 12.4\,M_{\odot}. Antares também é relativamente fria, sua temperatura é de apenas cerca de 6.500 F (3593ºC), em comparação a 11.000 F (6.093 C) do sol. As baixas temperaturas da estrela são o motivo de sua cor avermelhada.

Antares na história

A palavra “Antares” significa “anti-Ares” ou “anti-Marte”, provavelmente porque os astrônomos da antiguidade pensavam que a estrela avermelhada era semelhante ao planeta vermelho. E Marte, de fato, às vezes pode chegar perto de Antares em suas muitas voltas pelo céu noturno.

A aparência brilhante de Antares chamou a atenção de muitas culturas antigas, de acordo com Richard Hinckley Allen em seu livro “Nomes de Estrelas e Seus Significados”. Na Pérsia, por volta de 3000 aC, antares foi nomeada uma das quatro estrelas reais do céu. No Egito, Antares era um símbolo da deusa Selkit (que é muitas vezes referida como a deusa escorpião).

A estrela é tão brilhante que encobriu durante muito tempo a sua companheira mais fraca Antares B, que não foi descoberto até a era telescópica. Johann Tobias Burg, um astrônomo austríaco, viu a estrela de quinta magnitude em 13 de abril de 1819, quando a lua cobriu Antares.

Compartilhe issoShare on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on StumbleUponShare on LinkedInShare on RedditEmail this to someoneShare on Google+

Escrito por Equipe de Redação Ciências e Tecnologia

Um comentário

  1. Gostaria de saber quando a estrela Antares (A) foi descoberta, ou vista pela primeira vez.
    Desde já obrigada!

Seu comentário é bem vindo

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Antares é uma estrela supergigante vermelha, que está no final de sua vida. Uma vez que não haver mais combustível ela irá explodir formando uma supernova