Ciências e Tecnologia » Astrofísica e Astronomia » Construção de base lunar com impressão em 3D

Construção de base lunar com impressão em 3D

Explorar a lua sempre foi uma ambição de várias nações. Descobrir seus recursos minerais, monitorar as condições meteorológicas e fazer novas pesquisas astronômicas.

A Agência Espacial Europeia (ESA) tem a pretensão de iniciar uma base na lua com o auxilio das impressoras 3D controladas por uma tecnologia de conectores acoplada a um robô, tudo isso a partir de materiais locais, como a poeira lunar.

O desejo de fazer uma base na lua e o estudo de projetos que ofereçam custo acessível e real já é analisado à tempos principalmente por parte dos europeus. Porém, os altos custos do transporte dos materiais para a construção eram grandes empecilhos até surgir a ideia de levar as revolucionárias impressoras 3D robotizadas que reduziria a logística e aproveitaria os recursos encontrados na lua para a construção da base.

Projeto de base lunar

Projeto de base lunar

A viabilidade do projeto

A Nasa já havia demonstrado que é possível construir estruturas rígidas com poeira lunar ou regolito – fragmento de pedra que cobre a superfície do satélite da Terra. Agora, a ESA se uniu com empresas, como o escritório de arquitetura Foster + Partners, para testar a viabilidade da impressão 3D no solo lunar.

Para o teste, a empresa Monolite forneceu uma impressora 3D capaz de imprimir peças de até 6 metros de comprimento. Durante o experimento, ela construiu um bloco de 1,5 toneladas com uma poeira similar ao regolito lunar.

A Foster + Partners deve usar o modelo dos testes para estimar a estrutura da base lunar. As paredes deveram ter cavidades espalhadas por toda a estrutura interna da base, além de ter capacidade para acomodar quatro astronautas e oferecer proteção contra micrometeoritos, radiação espacial e flutuações extremas de temperatura.

No entanto a Nasa, diferentemente da ESA, estuda uma possibilidade semelhante que envolveria um micro-ondas para fundir partículas de poeira lunar em blocos sólidos, dessa forma as edificações contariam com uma estrutura mais eficiente, o que dispensaria a necessidade de levar conectores como no projeto da ESA. O robô-aranha da Nasa seria capaz de construir o abrigo na lua em cerca de duas semanas.

O robô-aranha da Nasa

O robô-aranha da Nasa

 

Compartilhe issoShare on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on StumbleUponShare on LinkedInShare on RedditEmail this to someoneShare on Google+

Escrito por Thiago Cardoso

Estudante de Engenharia Ambiental
Curte viajar pelo Brasil, apreciar e registrar as mais belas imagens naturais do país e conhecer modos de vida diferentes.

2 Comentários

  1. Como seria possível construir uma bomba de plasma?

  2. Carlos F. Augusto

    Há cavernas na lua?

Seu comentário é bem vindo

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

A Agência Espacial Europeia (ESA) pretende iniciar a construção de uma base lunar com o auxilio das impressoras 3D controladas por tecnologia de conectores