Ciências e Tecnologia » Astrofísica e Astronomia » Descoberto o primeiro buraco negro orbitando uma estrela

Descoberto o primeiro buraco negro orbitando uma estrela

Uma equipe de pesquisadores da Espanha descobriu um sistema binário bem incomum, ao invés de formado por duas estrelas companheiras, esse sistema é o primeiro formado por um buraco negro orbitando uma estrela. O artigo foi publicado recentemente na revista científica Nature.

Geralmente sistemas estelares são compostos por estrelas, orbitando entre si, podemos usar com exemplo Sírius, Polaris dentre muitas outras. Estrelas do tipo Be, são conhecidas de longa data na astronomia moderna. Esses sistemas geralmente são compostos por estrelas de nêutrons.

“Sua característica mais distinta é sua grande força centrífuga, elas giram muito rápido, perto da velocidade de ruptura. É como se fossem piões cósmicos,” Jorge Casares do Instituto de Astrofísica das Canárias (IAC) e da Universidade La Laguna.

Buracos negros de massa estelar já foram descobertos através de emissão de raios- X, que surge a partir da adição de gás a partir de seus companheiros binários ( este gás é retirado de estrelas de baixa massa ou fornecido com ventos os maciços). Porém até agora não se conhecia nenhum caso de buraco negro orbitando uma estrela, embora isso já fosse previsto pela física teórica.

O buraco negro orbitando uma estrela de neutrôns

Descoberto o primeiro buraco negro orbitando uma estrelaO buraco negro orbita a estrela MWC 656, localizada na constelação do Lagarto, a cerca de 8.500 anos-luz de distância da Terra. A estrela Seja gira tão rápido que a velocidade de superfície ultrapassa 1 milhão de quilômetros por hora.

“Nós começamos a estudar esta estrela em 2010, quando telescópios espaciais detectaram emissão transitória de raios gama vindo de sua direção”, explica Marc Ribó , do Instituto de Ciències del Cosmos, da Universidade de Barcelona ( ICC / CEIE -UB ), “Não foram detecdatas mais emissões de raios gama posteriormente, mas descobrimos que a estrela era parte de um sistema binário “.

Uma análise detalhada do seu espectro permitiu aos cientistas deduzir as características do seu companheiro da estrela

“Ele acabou por ser um objeto com massa entre 3,8 e 6,9 M_{\odot} (massa solar). Tal objeto, invisível aos telescópios e com tamanha massa, só poderia ser um buraco negro, porque nenhuma estrela de nêutrons com mais de três massas solares pode existir ” , afirma Ignasi Ribas, do CSIC no Instituto de Ciències del Espacio ( CEIE – CSIC).

Os cientistas acreditam que esse objeto para ser membro de uma população oculta de estrelas orbitadas por buracos negros.

“Achamos que estes sistemas são muito mais comuns do que se pensava, mas eles são difíceis de se detectar porque seus buracos negros são alimentados a partir de gás ejetado pelas estrelas Be sem produzir muita radiação, de forma ‘silenciosa’, por assim dizer. No entanto, esperamos detectar outros sistemas binários similares na Via Láctea e outras galáxias próximas, usando telescópios maiores, como o Gran Telescopio Canarias, ” afirma Casares.

A dificuldade na localização de buracos negros

A detecção de buracos negros tem sido um desafio, desde a sua existência foi imaginada pela primeira vez por John Michell e Pierre Laplace, no século 18. Tendo em conta que eles são invisíveis pois a sua enorme força gravitacional evita que a luz escape, consequentemente telescópios não podem detectá-los. No entanto, um buraco negro pode ocasionalmente provocar radiação de alta energia a partir do meio que o rodeia e pode, assim, ser rastreados por satélites de raio-X .

Isso é o que acontece com buracos negros ativos atualmente, alimentados pela matéria transferida de uma estrela próxima. Se a violenta emissão de raios- X for detectado a partir de um lugar onde nada mais que uma estrela normal é vista, um buraco negro poderia estar escondido lá.

Usando este método, pesquisadores descobriram 55 possíveis buracos negros ao longo dos últimos 50 anos. Dezessete deles tem o que os astrônomos chamam de “confirmação dinâmica” : a estrela de alimentação tenha sido localizada, permitindo a massa de seu companheiro invisível ser medida. Se estiver acima de três massas solares, ele é considerado ser um buraco negro.

Referências

  1. J. Casares, I. Negueruela, M. Ribó, I. Ribas, J. M. Paredes, A. Herrero, S. Simón-Díaz. A Be-type star with a black-hole companionNature, 2014; 505 (7483): 378 DOI:10.1038/nature12916
Compartilhe issoShare on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on StumbleUponShare on LinkedInShare on RedditEmail this to someoneShare on Google+

Escrito por Equipe de Redação Ciências e Tecnologia

Um comentário

  1. Renato Correia Lacerda

    Creio que os buracos negros tenham sido as fabricas de matéria do universo durante seu inicio e durante sua evolução,agora muitos deles são apenas os resquícios , acredito que os eventos magneto gravitacionais chamados de Duplo Thonson tenham realmente acontecido maiores informações consultem ” A hipótese do evento Duplo Thonson” Fonte Wikimedia. Artigo de minha autoria onde tento esclarecer sobre a origem da matéria a partir da energia e suas relações com os buracos negros , para realizar este artigo utilizei 14 referencias bibliográficas

Seu comentário é bem vindo

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Uma equipe de cientistas descobriu um sistema binário bem incomum esse sistema é o primeiro formado por um buraco negro orbitando uma estrela nêutrons