Ciências e Tecnologia » Tecnologia » Engenharia » Carvão ativado | Um material adsorvente que neutraliza toxinas

Carvão ativado | Um material adsorvente que neutraliza toxinas

Imagine a quantidade de substâncias que existem nas geladeiras e freezers. Cada substância libera cheiros e odores característicos que ficam no interior do refrigerador durante dias. Muitas são as alternativas para acabar com o “cheiro de geladeira”, mas nenhuma delas é tão eficiente quanto o uso de um pratinho simples com alguns pedaços de carvão. Entenda o porque.

Carvão ativado

É de carbono!!!

O carvão citado na introdução do texto é meramente carvão e não o carvão ativado. Ambos são materiais constituídos de carbono e provenientes de queima incompleta de matéria orgânica e alguns ossos de animais. A diferença é que o carvão ativado é muito mais poroso do que o carvão normal, sendo tratado em presença de oxigênio, que é o responsável pelos milhares de micróporos entre os átomos de carbono.

O que é adsorção?!?

Como o carvão ativado apresenta inúmeros poros superficiais, ele pode aprisionar moléculas nessa superfície, por meio de interações e ligações químicas. Esse processo é conhecido como adsorção, ou seja, quando uma substância apresenta a capacidade de fixar na sua superfície outra substância, chama-se essa primeira substância de adsorvente. O carvão, por apresentar uma grande superfície porosa, pode fixar diversas impurezas, entre elas, gases poluentes, mal cheirosos, cloro e alguns íons minerais. Isso tudo porque o carvão ativado é cerca de 100 vezes mais adsorvente que o carvão normal.

Aplicação do carvão ativado contra toxinas

MIcroscopia eletrônica do carvão ativado

O uso da técnica de adsorção por meio de carvão ativado são diversos, ressaltando os principais: uso em filtros adsorventes para indústrias que liberam gases e no tratamento de água (retirando nitratos, íons sódio e magnésio da água), descoloração de substâncias (os refrigerantes coloridos podem perder sua cor toda quando filtrados com carvão ativado) e, recentemente, utilizado na medicina e na toxicologia. Nessa última aplicação, casos de intoxicação podem ser amenizados com pela ação do carvão ativado, sendo essa substância responsável pela fixação das toxinas na sua superfície e não no organismo. Embora seja útil, sua aplicação para casos de desintoxicação não exclui os outros processos médicos.

Agora, fica fácil entender o porquê do uso do carvão (mesmo que normal) nas geladeiras. Sem ele, o cheiro ruim ficaria impregnado em todos os outros alimentos, o que tornaria a ida à geladeira uma tarefa até desagradável, não é mesmo?

Fontes e Bibliografia:

Compartilhe issoShare on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on StumbleUponShare on LinkedInShare on RedditEmail this to someoneShare on Google+

Escrito por Mailson de Queiroz

Químico e amante dessa ciência, assim como tudo que se conecta a ela... Mestre em Engenharia de Materiais e um professor que acredita na força de educação para mudar o mundo... Enfim, louco por ciências, apaixonado pelo conhecimento e, acima de tudo, cada vez mais um eterno aprendiz...

Um comentário

  1. Obrigada pelo artigo. O carvão ativado poderia retirar o cheiro insuportável de lixeira de condomínio já que há vários tipos de detritos? Agradeço a resposta

Seu comentário é bem vindo

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Carvão ativado apresenta inúmeros poros ele pode aprisionar moléculas e substâncias tóxicas por meio de um processo é conhecido como adsorção