Ciências e Tecnologia » Biologia » Cérebro | Homens e Mulheres com conexões diferentes

Cérebro | Homens e Mulheres com conexões diferentes

A Universidade da Pensilvânia( EUA) apresentou um estudo que revela a existência de  diferenças na conectividade neural de homens e mulheres, podendo assim elucidar algumas crenças sobre o comportamento entre os gêneros.

As imagens acima são de cérebros masculinos, e as abaixo femininosO estudo, liderado por Ragini Verma, em conjunto com Ruben C. Gur e Raquel E. Gur, concluiu que os cérebros masculinos têm mais conexões dentro dos hemisférios, enquanto os cérebros femininos são mais bem conectados entre os hemisférios. Isso sugere que o cérebro dos homens é mais bem estruturado para facilitar a conectividade entre a percepção e a ação coordenada, e o das mulheres facilita a comunicação entre seu lado analítico e sua intuição.“Esses mapas nos mostram uma gritante diferença e complementaridade na arquitetura do cérebro humano, que ajuda a fornecer uma base neural potencial de por que os homens se destacam em determinadas tarefas, e as mulheres em outras”, disse Verma.

 A pesquisa

Verma e seus colegas analisaram a conectividade cerebral em 949 indivíduos (521 mulheres e 428 homens) com idade entre 8 a 22 anos usando um tensor de difusão (DTI). DTI é uma técnica de imagem à base de água que pode rastrear e destacar as vias que conectam as diferentes regiões do cérebro, criando uma espécie de “mapa” de todo o órgão.

Os pesquisadores descobriram que as mulheres exibem uma maior conectividade na região supratentorial do cérebro, que contém o córtex, a maior parte do órgão, entre os hemisférios esquerdo e direito. Os homens, por outro lado, exibem maior conectividade dentro de cada um dos hemisférios.

O oposto prevaleceu no cerebelo, a parte do cérebro que desempenha um papel importante no controle motor. Homens exibiam uma maior conectividade inter-hemisférica, e mulheres uma maior conectividade intra-hemisférica.

cérebro-masculino-femininoIsso pode explicar certas tendências de comportamento femininos e masculinos. Por exemplo, em média, os homens são mais propensos a aprender e executar melhor uma única tarefa, como andar de bicicleta ou navegar direções, enquanto as mulheres têm memória superior e mais habilidades de cognição social, tornando-as mais bem equipadas para realizar multitarefas e criar soluções para trabalho em grupo.

Em outras palavras, as conexões masculinas provavelmente dão aos homens um sistema eficiente de ação coordenada, já que o cerebelo e a parte frontal do cérebro trabalham juntos, ligando percepção e ação, e as conexões femininas provavelmente facilitam a integração dos processamentos sequenciais e de análise do seu hemisfério esquerdo com os processamentos espaciais, intuitivos e de informações do lado direito.

No entanto, é importante ressaltar que os resultados não se aplicam a homens e mulheres individuais, e sim a uma média geral da população. “Cada indivíduo pode ter parte de homens e mulheres em si”, explicou Verma, referindo-se aos padrões de conectividade observados.

Referências

 

Compartilhe issoShare on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on StumbleUponShare on LinkedInShare on RedditEmail this to someoneShare on Google+

Escrito por Simone Brito

Acadêmica do curso de Biomedicina pela Universidade Castelo Branco, no RJ.

2 Comentários

  1. HeDC.MarceloDC.Desenvolvedor

    Limitado num tosco falso dualismo, pois há intersexos, se é homo ou hétero etc. Inclusive há gênero masculino seja em homens, mulheres, intersexos… e gênero feminino idem. Assexuados, etc…

  2. HeDC.MarceloDC.Desenvolvedor

    Aqui dando erro nos comentários.
    Em alguns links de notícias dá erro no captcha, outros sempre “aguardando moderação” e uns apenas a página recarrega sem nada ocorrer.
    Será que aqui sairá?

Seu comentário é bem vindo

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Um estudo sugeriu a existência de diferenças na conectividade neural de homens e mulheres elucidando algumas crenças sobre o comportamento entre os gêneros