Ciências e Tecnologia » Astrofísica e Astronomia » Cientistas concluem que água da terra não veio dos cometas

Cientistas concluem que água da terra não veio dos cometas

Dados iniciais da espaçonave europeia Rosetta revelam que a água expelida pelos jatos do cometa 67p é diferente da água encontrada na Terra. Há muitos anos os cientistas acreditavam na teoria de que as águas que compõem os nossos oceanos teriam sido trazidas por cometas, porém os dados obtidos da Rosetta podem refutar essa teoria.

As moléculas de água são compostas por dois átomos de hidrogênio ligados por um átomo de oxigênio. Na Terra, três em cada 10 mil moléculas de água possuem Deutério (ou seja moléculas de água  pesada ²H2O cujo o átomo de hidrogênio é encontrado na forma de um isótopo que possuí um nêutron além do próton). E é por meio da concentração de Deutério que os cientistas são capazes de distinguir a água dos cometas e da terra.

A medição foi feita pelo instrumento Rosetta Orbiter Sensor for Ion and Neutral Analysis.

 “Não é a mesma água terrestre, é muito mais pesada” afirma Kathrin Altwegg.

dados do rosetta

Relação deutério/hidrogênio (D/H ratio) para vários corpos no Sistema Solar – a água do cometa 67P (extrema direita) é a que mais se distancia da água da Terra (rótulo Earth, à esquerda). [Imagem: Altwegg et al. 2014]

Cientistas continuarão na busca para descobrir de onde vem a água da Terra.

Cientistas afirmaram que a descoberta elimina os cometas como a fonte de água da Terra, e provavelmente de seus elementos orgânicos também. A fonte de água da Terra tem sido um enigma de longa data. Há cerca de 4,6 bilhões de anos nosso planeta foi extremamente quente e provavelmente não havia água nenhuma. As teorias mais prováveis e aceitas afirma que a água tenha vindo de cometas ou asteroides ricos em gelo.

“Este resultado surpreendente pode indicar uma origem diferente para os cometas da família Júpiter – talvez eles tenham se formado em uma faixa de distâncias no Sistema Solar maior do que nós acreditávamos até agora,” afirma Kathrin Altwegg, responsável pela espaçonave Rosetta. “Nosso resultado também descarta a ideia de que cometas da família Júpiter contenham apenas água parecida com a dos oceanos da Terra, e dá peso aos modelos que colocam mais ênfase nos asteroides como os principais mecanismos de abastecimento dos oceanos da Terra,” completa.

Referencia

  1. K. Altwegg, H. Balsiger, A. Bar-Nun, J. J. Berthelier, A. Bieler, P. Bochsler, C. Briois, U. Calmonte, M. Combi, J. De Keyser, P. Eberhardt, B. Fiethe, S. Fuselier, S. Gasc, T. I. Gombosi, K.C. Hansen, M. Hässig, A. Jäckel, E. Kopp, A. Korth, L. LeRoy, U. Mall, B. Marty, O. Mousis, E. Neefs, T. Owen, H. Rème, M. Rubin, T. Sémon, C.-Y. Tzou, H. Waite, and P. Wurz. 67P/Churyumov-Gerasimenko, a Jupiter family comet with a high D/H ratio. Science, 10 December 2014 DOI:10.1126/science.1261952
Compartilhe issoShare on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on StumbleUponShare on LinkedInShare on RedditEmail this to someoneShare on Google+

Escrito por Equipe de Redação Ciências e Tecnologia

2 Comentários

  1. Eu acho errado fazer essa conclusão tão cedo, deveriam olhar em mais cometas se possivel.

  2. Bom, em minha opinião a descoberta não elimina a possibilidade, uma vez que a quantidade de raios cósmicos que os cometas são submetidos são muito mais elevadas que a água aqui na terra. Outra variável a ser analisada é o decaimento radioativo que a água deuterada sofre aqui e no espaço, laboratórios diferentes a meu ver.

Seu comentário é bem vindo

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*


Pesquisa, ainda em fase inicial, defende teorias anteriores de que a água terrestre veio de asteroides.