Ciências e Tecnologia » Física » Conversão de luz solar em eletricidade com mais de 40% de eficácia

Conversão de luz solar em eletricidade com mais de 40% de eficácia

Na Universidade de Nova Gales do Sul –UNSW, Austrália, pesquisadores converteram mais de 40% da luz solar que alimentava um painel solar ligado na eletricidade, essa é a maior taxa de eficiência já registrada.

A eficiência recorde foi alcançada em testes ao ar livre feitos em Sydney, antes de ser confirmada de forma independente pelo Laboratório Nacional de Energia Renovável (NREL) em suas instalações de teste ao ar livre nos Estados Unidos.

O trabalho foi financiado pela Agência de Energia Renovável Australiana (ARENA) e apoiado pelo Instituto Austrália-EUA para a energia fotovoltaica avançada (AUSIAPV).

“Esta é a maior eficiência já relatada na conversão de luz solar em eletricidade,” afirma o Professor Martin Green da UNSW, Cientista, Professor e Diretor do Advanced Photovoltaics.

“Nós usamos células solares comerciais, mas de uma maneira nova, de modo que essas melhorias de eficiência se tornem de fácil acesso para o setor de energia solar”, acrescentou o Dr. Mark Keevers, cientista solar da UNSW que gerenciou o projeto.

Projeto é o mais recente em 4 anos de pesquisas solares

A conquista de eficiência de 40% na conversão de energia solar para eletricidade é a mais recente de uma longa trajetória de conquistas dos pesquisadores solares da UNSW, que já trabalham há quatro décadas nessa linha de pesquisa. Estes avanços incluem o primeiro sistema fotovoltaico para converter a luz solar em eletricidade, com mais de 20% de eficiência em 1989. Com o novo resultado, o desempenho foi duplicado comparado ao primeiro.

“Os novos resultados baseiam-se na utilização de luz solar focada, e são particularmente relevantes para torres de energia fotovoltaica que são desenvolvidas na Austrália,”, afirma o professor Green.

luz solar

Paineis solares utilizados pelos pesquisadores. Crédito: © codrin / Fotolia

As torres de energia estão sendo desenvolvidas pela empresa australiana, RayGen, que forneceu o projeto e apoio técnico para a alta eficiência do protótipo. Outro parceiro na pesquisa foi a Spectrolab, uma empresa norte-americana que forneceu algumas das células utilizadas no projeto.

Uma parte fundamental do protótipo é o uso de um filtro de banda ótica personalizada para captar a luz solar que normalmente é desperdiçada pelas células solares comuns usadas mercado, e convertê-las em energia elétrica com uma maior eficiência do que as células solares jamais poderiam fazê-las. Esses filtros refletem determinados comprimentos da onda de luz durante a transmissão de outros.

O CEO da ARENA, Ivor Frischknecht, disse que a conquista abre um outro mundo para a pesquisa e desenvolvimento australiano e demonstra ainda mais o valor de investir na ingenuidade da energia renovável na Austrália.

“Esperamos para ver esta inovação dar os próximos passos de prototipagem para manifestações em escala piloto. Em última análise, as plantas solares comerciais mais eficientes farão a energia renovável mais barata, aumentando a sua competitividade.”

A conquista de 40% de eficiência na transformação de energia solar foi noticiada em um artigo que deverá ser publicado em breve pela revista Progress in Photovoltaics. Também será apresentado na Conferência de Pesquisa do PV Instituto Australiano Ásia-Pacífico Solar, que começa na UNSW segunda-feira 8 de dezembro.

Compartilhe issoShare on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on StumbleUponShare on LinkedInShare on RedditEmail this to someoneShare on Google+

Escrito por Equipe de Redação Ciências e Tecnologia

2 Comentários

  1. Maravilhoso o artigo

  2. Exelente artigo.Tudo que existe nesse universo é energia, basta sabermos fazermos o uso correto de sua utilização.

Seu comentário é bem vindo

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*


Pesquisadores atingem a incrível taxa de 40% de eficiência na transformação de energia solar em eletricidade O avanço na tecnologia de células fotovoltaicas