Ciências e Tecnologia » Biologia » Criminalística Forense: A ciência que ajuda a elucidar crimes

Criminalística Forense: A ciência que ajuda a elucidar crimes

A Criminalística Forense pode ser definida como um conjunto de áreas da ciência que atuam com o objetivo de solucionar, de forma legal, crimes e auxiliar em investigações. A ciência forense em questão não é única, mas dependente de uma série de componentes essenciais para a resolução dos problemas.

Quando crimes ocorrem – sobretudo os violentos – uma equipe é acionada para analisar os vestígios e pistas deixadas, cada profissional atuando em suas especialidades, mas em conjunto com os demais. Assim, tudo o que puder ser colaborativo para a resolução do crime é coletado e analisado: sangue, cabelo, tecidos, sêmen, e outros vestígios são levados ao laboratório para que os profissionais possam analisar cada evidência.

Com as investigações e tecnologias forenses, os crimes são solucionados de forma mais precisa, eficaz, e em menor tempo que em uma pesquisa normal. E, como foi dito, são necessários peritos de cada área da ciência para que o trabalho possa ser cumprido de forma colaborativa e exata. Nos EUA as pesquisas são ainda mais aprofundadas, inspirando séries criminais norte-americanas, tais como CSI: Crime Scene Investigation, Criminal Mind, Body of Proof, dentre outras.

Compõem a criminalística forense, áreas como Antropologia, Criminologia, Entomologia, Odontologia, Patologia e Psicologia, dentre outras, confira abaixo mais sobre elas.

Áreas da pesquisa da criminalística forense

Medicina Forense

Da ficção para a realidade, muitos detalhes e posicionamentos são diferentes. Porém, assim como nas séries, a criminalística forense requer muita disciplina e foco de cada perito, cada qual com o seu talento.

A Medicina Legal é uma especialidade médica e jurídica, destinada a colocar em prática conhecimentos da medicina, afim de esclarecer fatos sobre os crimes cometidos. A Psiquiatria forense é uma sub-área que abrange tanto a lei, quanto a psiquiatria.

Para ingressar na careia criminalística é necessário ser aceito na Associação Brasileira de Psiquiatria (no Brasil) ou pela Ordem dos Médicos (em Portugal), efetuando o treinamento necessário. Tais profissionais estudam a mente do responsável pelo crime, seja trabalhando para encontra-lo e traçando perfis, ou avaliando o criminoso para estabelecer uma comunicação. Os psiquiatras forenses também atuam para analisar capacidade que o réu tem para ser responsabilizado criminalmente, isto em casos que há dúvidas sobre a saúde mental do indivíduo.

Criminalistica: Medicina Forense

Computação Forense

Outra área criminalística forense é a computação forense, que utiliza métodos científicos para coletar, identificar, analisar, interpretar, documentar, e estudar alguma evidência digital.  O papel do profissional capacitado é essencial, uma vez que nem sempre é simples encontrar vestígios em um computador em que se possivelmente se encontram milhões de arquivos armazenados.

Evidência digital é a informação armazenada digitalmente, que precisa ser analisada com muita atenção por tamanha fragilidade. Os materiais podem ser apresentados em um tribunal de justiça como prova ou incluída nos laudos periciais.

A área envolve técnicas e conceitos de sub-áreas da computação e do universo criminal, tais como Programação, Banco de Dados, Rede de Computadores, Engenharia de Software,  Arquitetura e Organização de Computadores,  entre outros estudos.

A tecnologia é fundamental para as análises criminais e os profissionais precisam conseguir dominar o desenvolvimento dos meios tecnológicos, já que os criminosos muitas vezes os utilizam no planejamento e execução de um crime.

A computação forense destina-se a inspeção científica nos computadores e aparelhos tecnológicos, afim de encontrar evidências para a reconstituição dos crimes e soluções dos mesmos. Os profissionais da área ainda investigam dispositivo de dados para determinar se estes foram utilizados para atividades ilegais.

Já a informática forense é a ciência que investiga os processos responsáveis por gerar informações, conseguindo capturar, processar, armazenar e transmitir dados. Estes processos contribuem para complementar os sistemas nos níveis de processos, como verificação de cálculos, relatórios, entre outros.

Biologia e a Ciência Forense

Além de todas essas áreas, existe também a Biologia Forense, que aplica os conhecimentos e recursos biológicos para investigar e resolver os crimes. Na maioria dos casos, os locais em que aconteceram atos criminosos estão cheios de vestígios como sangue, fios de cabelo, sêmen, pedaço de pele, dentre outros. O biólogo forense é capaz de auxiliar o trabalho policial, analisando amostras, recuperando impressões digitais, pesquisando evidências, enfim, buscando encontrar o responsável.

Dentro da biologia, existem sub-áreas, uma delas é a toxicologia, ciência que estuda os efeitos adversos das substâncias químicas sobre o organismo. Assim, torna-se possível mostrar a verdade sobre os fatos, identificando se houve ou não intoxicação no corpo da vítima, e/ou alterações no organismo.

Há também a Genética Forense, área que utiliza os conhecimentos e técnicas da genética da biologia molecular no auxílio à justiça. A área também é conhecida como DNA Forense, que pode ser aplicado no teste de paternidade ou também na identificação de animais, microrganismos, plantas, e até mesmo encontrar evidências que liguem o crime ao criminoso.

 A entomologia forense estuda a biologia de insetos e outros artrópodes em processos criminais. A área também atua na investigação de morte, ajudando a determinar o local e tempo do crime de acordo com a fauna encontrada no cadáver da vítima. A entomologia se divide em urbana e médico-legal.

Todas as áreas são fundamentais para que o crime possa ser solucionado de forma completa, sendo assim, é essencial a ajuda de todos os profissionais atuando na investigação.

Odontologia Forense

Há ainda os dentistas forenses, que desempenham um importante papel na criminalística forense, e são vitais para a polícia na identificação de corpos determinando a identidade através das arcadas dentárias de corpos. Além disso a odontologia forense pode ainda determinar muitas vezes até a hora, causas, e condições da morte.

Criminalística Forense : Dentista Forense Trabalhando

Criminalística Forense : Dentista Forense Trabalhando

Compartilhe issoShare on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on StumbleUponShare on LinkedInShare on RedditEmail this to someoneShare on Google+

Escrito por Equipe de Redação Ciências e Tecnologia

Um comentário

  1. JOSSINETE MARIA PIAUILINO DE MIRANDA

    Muito interessante.

Seu comentário é bem vindo

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Criminalística Forense, a ciência que resolve crimes por meio de áreas como biologia, entomologia, antropologia, odontologia, psicologia e medicina forenses