Ciências e Tecnologia » Biologia » As dietas e métodos mais perigosos para emagrecer

As dietas e métodos mais perigosos para emagrecer

Nesse artigo iremos listar alguns dos métodos mais perigosos para emagrecer e perder peso muito rápido. Tais dietas e procedimentos prometem uma solução milagrosa para emagrecer num curto espaço de tempo, e o pior é que eles realmente funcionam por isso são extremamente perigosos. Esse artigo tem carater educativo e o intuito da equipe não é incentivar tais práticas, mas sim conscientizar dos riscos e problemas que podem ser causados por essas dietas

Dieta Dukan e outras dietas restritivas de proteína

6 dietas e métodos mais perigosos para emagrecerCriada pelo médico francês Pierre Dukan, a dieta Dukan, ficou famosa nas última década, devido ao marketing gratuito de alguns famosos como Jennifer Lopez, Giselle Bundchen, Penelope Cruz e Kate Middleton dentre outras… isso fez o público virar adepto da dieta.

Sim, essa dieta realmente emagrece, principalmente no curto prazo.

Toda dieta é efetiva desde que a pessoa consuma menos calorias do que gasta no dia é questão de aritmética básica. Se você gasta 2100 calorias diariamente e consome só 1400, vai perder peso. Se gastar 1400 calorias e consumir 2300 não tem conversa vai engordar. simplesmente isso.

O problema da dieta Dukan e outros tipos de dietas é a restrição quase que completa de alguns alimentos. Não é recomendado tirar de forma dramática carboidratos e gorduras da alimentação. Isso culmina em impedir que o paciente consuma nutrientes importantes para a manter o corpo funcionando.

A fonte primária de energia de nossas células humanas é a glicose e sua principal fonte são os carboidratos. Quando eles são retirados da dieta, o organismo precisa procurar outras maneiras de obter a energia que precisa. A maneira mais simples é através da queima dos estoques de gordura, fazendo com que o organismo produza corpos cetônicos, ácidos originados da quebra de gordura em ácido graxo e são utilizados como alternativa à glicose.
O nosso fígado pode produzir glicose a partir de vários componentes em um processo chamado gliconeogênese, porém essa produção tem um limite bem pequeno, então o organismo precisa usar outra estratégia para fornecer energia para o cérebro. Então, o figado sem opções, aumenta a produção dos chamados corpos cetônicos. Estes compostos, que normalmente são produzidos em pequenas quantidades, são liberados na corrente sanguínea e são captados pelo cérebro e outros tecidos para serem metabolizados.

[wysija_form id=”9″]

De fato, os corpos cetônicos são eficientes para a nutrição cerebral em períodos de dieta ou jejum prolongado, e sua produção aumenta à medida que o quadro de hipoglicemia se intensifica. No entanto, é importante ressaltar que a produção de corpos cetônicos pode exceder a quantidade usada pelo cérebro, e nessas condições estes compostos se acumulam, causando cetose, que se caracterizada por grandes quantidade de corpos cetônicos no sangue (cetonemia) e na urina (cetonúria).Como os corpos cetônicos são ácidos, seu acúmulo pode elevar a acidez sanguínea, determinando uma diminuição do potencial de Hidrogeniônico (pH).

Chama-se acidose a diminuição de pH fisiológico, de aproximadamente 7,42 para valores menores. A acidose prolongada é perigosa e pode levar o indivíduo a coma e até mesmo a morte em casos mais graves. Desta forma, aconselha-se evitar aquelas dietas onde o indivíduo interrompe a ingesta de alimentos por longo período de tempo.

Laxantes e Diuréticos para emagrecer

Usados de maneira indiscriminada com o objetivo de emagrecer, laxantes e diuréticos se tornam medicamentes extremamente perigosos, além de promover um falso emagrecimento, eles trazem péssimas consequências ao organismo.

Todos os dias pessoas abusam dos laxantes e diuréticos, como modo de emagrecer. Mas o que muitas dessas pobre pessoas não sabem é que além de causar a falsa perda de peso, tais remédios não descartam somente líquidos (e não gorduras). Junto com a água, é eliminado também minerais potássio, cálcio e sódio do corpo, o que pode provocar desidratação intensa, aumento da acidez no sangue, que força o corpo a liberar cálcio dos ossos para estabilizar o pH do sangue e causa o enfraquecimento dos osso a longo prazo. Já os laxantes irritam as paredes do intestino, fazendo-as liberar o bolo fecal antes do devido, o uso habitual piora a constipação, causando uma mudança no trato intestinal. Por causa disso o intestino deixa de funcionar naturalmente, e acumula fezes, tornando-se dependente da medicação.

Essas práticas acabam promovendo algum emagrecimento, pois você perde líquidos e nutrientes do corpo, mas os danos à saúde custa muito mais caro, pode ter certeza.

Inibidores de apetite

Inibidores de apetite como sibutramina e mazindol, ou outros derivados de anfetamina, como a anfepramona e femproporex, por exemplo, não é recomendado em diversos países do, porque vários estudos clínicos indicam que esses medicamentos trazem pouco ou nenhum benefício na redução de peso e não são seguros para consumo, já que causam severos efeitos cardiovasculares e cerebrovasculares.

Femproporex e anfepramona são derivados da anfetamina, e por isso o risco de abuso e de efeitos colaterais como insônia, arritmia cardíaca, acidente vascular cerebral, hipertensão pulmonar, efeitos psicóticos, hipertireoidismo, depressão e diabetes mellitus são elevados. O manzidol possui estrutura molecular diferente dos anfetamínicos, mas possuí efeitos adversos e potencial de abuso igualmente alto. No final da década de 1990, a EMEA (Agência Regulatória Europeia), removeu do mercado vários produtos que continham tais drogas e, nos EUA, esses medicamentos nunca chegaram a ser registrados.

Já a sibutramina e fluoxetina são inibidores seletivos da recaptação de serotonina, e pertencem à classe dos antidepressivos. Ao ser metabolizada a sibutramina gera derivados anfetamínicos, responsáveis pelo efeito anorexígeno e também pelos efeitos adversos relacionados a anfetaminas.

Dieta do café

Uma ideia essencialmente bizarra mas que é seguida por alguns, é a dieta do café, que detre muitas variações consiste basicamente de eliminar carboidratos simples como açucares da dieta, e consumir muitas fibras como aveia e doses inimagináveis de café (algo em torno de 25 xicáras por dia), combinada com um intenso programa de exercícios (com foco na queima de 800 caloria por exercício dirariamente), o método é extremo e funciona pois combina efeito laxante das fibras, com efeito termogênico, diurético e inibidor de apetite do café além de exercícios e possível perda de sono.

Dentre os riscos, desidratação, diarreias, arritimia cardiaca, e até morte por intoxicação de cafeina, divertido não é?

Termogênicos

Embora possam paracer inofensivos, os chamados termogênicos, que são na verdade medicamentos, estão ficando cada vez mais populares entre os praticantes de musculação e atletas amadores. Os “milagrosos” comprimidos prometem acelerar a perda de peso e podem ser comprados em alguma loja de suplementos alimentares sem receita nenhuma médica. No entanto, podem ser extremamente prejudiciais para a sáude humana, elevando sensívelmente o risco de derrames e doenças cardiácas.

Os termogênicos não são medicamentos que possuem uma fórmula única, mas sim vários compostos químicos associados com o objetivo de atingir o maior potencial. Existem os estimulantes da produção dos hormônios tireoidiano, testosterona e do crescimento (GH). A utilização em médio e longo prazo culmina numa série de danos à saúde. Dentre as complicações podemos mencionar pressão arterial elevada, que é fator de risco para doenças cardiovasculares, derrames e, dependendo do segmento do sistema do corpo comprometido, até para cegueira.

Como próprio nome sugere, os termogênicos consistem em substâncias que podem aumentar a temperatura corporal e acelerar o metabolismo. Sua ação é análoga à adrenalina, E seu principal efeito acontece através do aumento da frequência cardíaca, aumento da capacidade respiratória, e dilatação dos vasos.

Além do risco de doenças do coração e sistema endócrino – que em muitos casos fica totalmente desregulado – estas substâncias podem ainda ser extremamente viciantes, Pois aumenta energia, força física, resistência e emagrecimento do indivíduo que facilmente torna-se viciado nos comprimidos, elevando ainda mais os riscos. Outro grande problema é o uso combinado de termogênicos com outras drogas, como por exemplo a cocaína, que pode até mesmo levar á morte.

A dieta do hormônio do da gravidez (hCG)

A dieta hCG promete uma perca de 15 quilos em até um mês, sem fome ou falta de energia, esse perigoso método está em alta entre as mulheres brasileiras.

O chamado hormonio da gravidez hCG, (Gonadotrofina coriônica humana) é produzido normalmente durante a gestação. Na gravidez, o composto tem a função de criar um ambiente favorável para o crescimento do feto. Homens e mulheres que não estão grávidas, contudo, possuem taxas quase nulas do hormônio no corpo. Com o objetivo de emagrecer, pessoas submetem-se à aplicações diárias do hormônio, e seguem uma dieta alimentar altamente restritiva. A dieta não permite o consumo de quase nenhum carboidrato, fruta, açucar, gorduras e alimentos industrializados. Em 40 dias, a alimentação diária não pode ultrapassar 600 calorias e exercícios também são proibidos, desse jeito fica fácil emagrecer não é mesmo?

O uso do hcG para emagrecer é antigo. Em meados da década de 50, o britânico Albert Simeons observou que havia uma correlação entre o uso de hCG em pacientes muito acima do peso e eliminação dos quilos extras. As evidências ressaltadas por Simeons, no entanto, foram consideradas fracas pela comunidade científica da época. Desde então, vários estudos foram conduzidos com o objetivo de provar a eficiência no tratamento, mas nenhuma pesquisa realizada até agora conseguiu demonstrar que o hormônio seja capaz de intensificar a perda de peso, distribuiçã da gordura ou diminuir o apetite.

Ele funciona, porém mais como um efeito placebo e pela dieta associada. O suposto efeito no emagrecimento é apenas uma ilusão, com o intuito de criar um estímulo para que as pessoas sigam uma dieta altamente restritiva. O emagrecimento acontece devido restrição calórica. Parece óbvio que uma pessoa ingerindo só 500 calorias por 30 or 40 dias vai emagrecer

Compartilhe issoShare on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on StumbleUponShare on LinkedInShare on RedditEmail this to someoneShare on Google+

Escrito por Equipe de Redação Ciências e Tecnologia

Seu comentário é bem vindo

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Os métodos e dietas mais perigosos para emagrecer e perder peso muito rápido, Dieta dukan, laxantes e diuréticos, termogênicos, dieta do café e hCG