Ciências e Tecnologia » Física » Energia Hidrocinética | Gerando eletricidade nas ondas do mar

Energia Hidrocinética | Gerando eletricidade nas ondas do mar

A Terra está ficando sem combustível fóssil, e é uma questão de tempo até que ele se esgote por completo. Assim, a busca por uma alternativa limpa e eficiente de energia elétrica é um assunto em foco. Aproveitar o poder das ondas do mar é uma forma de criar energia. A energia produzida pelas ondas da superfície do oceano é enorme. Essa energia pode ser usada para gerar eletricidade, bombear a água para reservatórios, e para dessalinização.

O que é a energia das ondas ?

É fácil confundir a energia das ondas, com a energia das marés, que é uma forma de energia hidrelétrica. Energia das ondas  é previsível, uma vez que se baseia nos mares naturais da terra. Isto é mais fácil de prever do que a energia eólica e a energia solar. A água constitui três quartos do nosso planeta , proporcionando-nos potencial suficiente para alimentar o planeta.

A energia das ondas, por outro lado utiliza ondas criadas pelo vento que sopra em toda a superfície do mar. A altura de uma onda é afetada pela velocidade do vento, a profundidade do mar e do tempo em que o vento sopra. Mesmo a velocidade e o comprimento de onda e da densidade da água afetando a energia das ondas.

Gerando energia quando o vento encontra as ondas

A energia das ondas poderia ser uma importante solução para a crise de energia do mundo,  pois três quartos da terra é oceano. Isto significa que os mares podem fornecer pelo menos o dobro da eletricidade produzida hoje.

Embora existam muitas maneiras de aproveitar a energia das ondas ao redor do mundo, todos esses sistemas funcionam com os mesmos princípios básicos. Um sistema de energia de onda faz uso do movimento das ondas ou das diferenças de pressão abaixo da superfície das ondas para gerar energia eléctrica. Isso é chamado de geração de energia hidrocinética . Estes projetos de energia das ondas são construídos na costa ou no mar próximo a ela. Os três tipos de projetos de energia das ondas são dispositivos oscilando colunas de água e pontos de absorção. O primeiro parque de ondas do mundo, foi o Parque de Ondas Aguaçadora em Portugal.

O Pelamis conversor de onda

Um exemplo de um projeto de energia das ondas de sucesso é o conversor de energia das ondas Pelamis. Este parece um longo oleoduto que serpenteia através do mar, subindo e descendo nas ondas. O conversor de ondas consiste em grandes tubos que flutuam sobre a água. Os tubos são ligados um ao outro com pistões construídos neles. À medida que as ondas se movem cada tubo se move também para cima e para baixo, para frente e para trás, os pistões movem-se virando um gerador que produz eletricidade. A energia armazenada é canalizada para a costa.

Energia das Ondas no Brasil

Energia Hidrocinética | Gerando eletricidade das ondas do mar

Funcionando de forma experimental desde novembro de 2012, a Usina de Pecém (CE), a primeira da América Latina movida pela força das ondas do mar, conta com uma tecnologia brasileira inovadora. A transformação da energia das ondas em energia elétrica é feita por flutuadores na base de braços mecânicos, instalados no quebra-mar do Porto de Pecém. O movimento das ondas faz com que os braços mecânicos se mexam, de modo a injetar água nas câmaras hiperbáricas, que liberam jatos d’água com pressão e vazão necessárias para acionar uma turbina ligada a um gerador, produzindo eletricidade. Idealizador e líder do projeto, o professor Segen Estefen, Coordenador do Programa de Engenharia Oceânica da COPPE/UFRJ, considera que esse tipo de produção de energia será muito importante para o Brasil diversificar suas fontes limpas.

Compartilhe issoShare on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on StumbleUponShare on LinkedInShare on RedditEmail this to someoneShare on Google+

Escrito por George Cruz

Técnico em química, programador, graduando em engenharia mecânica, um amante do conhecimento, da boa música e da arte.

8 Comentários

  1. Uma alternativa muito interessante pra manter limpa a matriz energética do Brasil!

  2. LEONIDES PEDRO DE BRITO

    EU faria diferente, usaria ondas para impulsionar os braços mecânicos
    impulsionar o gerador,teria que ser ondas fortes. abraços.
    usaria esta também.tem mais opções,poderia usar também em baixo da água,usaria força das ondas em baixa da água também.

  3. ALEX SANTANNA

    Enquanto a matriz energetica do Brasil for baseada diretamente no petroleo , vai ficar dificil outros projetos sairem do papel.
    Espero que de certo pois precisamos de alternativas limpas.

  4. Thalita Ribeiro

    Descobertas geniais!!!

    nunca foi falta de alternativa, de possibilidades, ou algo que se diga de extrema dificuldade!
    É muito mais falta de interesse, prioridade, criatividade, discernimento e consciência!

    Muito boa idéia! Isso sim…pode-se chamar de limpo!

  5. Otávio José da Silva

    Desenvolvi um sistema integrado que capta a energia das ondas por menor que seja. Podem ser aproveitadas não somente as ondas do mar, mas até de lagos de água doce, como também as ondas gigantes em pleno oceano. O protótipo funcionou a contento na piscina de plástico. Estou à procura de parceria. Caso haja interesse em maiores detalhes favor comunicar através do E-mail:silvaeditor@yahoo.com.br

  6. A energia retirada dos movimentos das ondas é uma idéia brilhante mas a sequencia para bombear a água é bem complicado, porque faz toda a diferença já que nossa rede esta baseada em 60 hertz, a explicação resumida do vídeo não abre o verdadeiro pulo do gato, para corrigir esta sequencia. Obviamente deve ter um bom bombeamento de água e um reservatório pulmão para resolver este problema, ou teria que armazenar em baterias e depois reconverter, mas as perdas seriam grandes. O importante é que o movimento gerado é eternizado.
    Uma boa idéia seria usar o tipo de motor de stirling nessa aplicação, apesar de não usar calor o gerador com dois pistões movimentaria um eixo mecanicamente, sem água, apenas com os braços colocados na onda. Imagine como se fosse duas seringas unidas pela “agulha” o ar que esta numa seringa passa para a outra e movimenta o embolo e depois inverte o sentido do ar , gerando o movimento dos pistões sem parar.

  7. nelson Jaque Bustos

    Una pena que este, que debería ser el sistema más eficiente de extraer energia del sol, até agora sejam umas merdas y todo porque os projetos existentes u operando som horriveis, maos mesmos, basta ver o projeto brasileiro de 2012, um absurdo. o peor é que esta aberração continuará por quizas quanto tempo??? Acordem caras, si realmenet quierem ver o mar entregando esta energia gigantesca que ele possui. O projeto tiene que ser minimamente adequado y este agora ja existe, existe mesmo. Desgraciadamente teremos que seguir vendo esta triteza.

Seu comentário é bem vindo

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*


A busca por uma alternativa sustentável é um assunto em foco. Aproveitar o poder das ondas do mar é uma forma de criar energia elétrica de forma limpa