Ciências e Tecnologia » Astrofísica e Astronomia » Evidências de água salgada encontradas em Marte

Evidências de água salgada encontradas em Marte

Os dados coletados em Marte pelo robô Curiosity da NASA indicam que pode haver água sob a forma de salmoura na superfície do planeta vermelho sob certas condições.

A descoberta, publicada na edição de maio de 2015 da revista Nature Geoscience , se baseia em quase dois anos de dados meteorológicos recolhidos a partir de uma cratera de impacto perto da região equatorial do planeta (Cratera Gale). Vincent Chevrier, professor assistente na Universidade de Arkansas e pesquisador do Centro de Espaço e Ciências Planetárias, juntamente Edgard G. Rivera Valentin, um ex-acadêmico do centro e que agora é cientista no Observatório de Arecibo, em Porto Rico, foram membros da equipe que analisou os dados que foram cedidos pela NASA.

“O que demonstramos é que, sob circunstâncias específicas, por algumas horas por dia, você pode ter as condições adequadas para formar salmouras líquidas na superfície de Marte”, afirma Chevrier.

A existência de água salgada pode explicar um fenômeno observado por sondas marcianas chamado “inclinação recorrente”, que são faixas escuras que aparecem em encostas e crescem durante a estação quente do planeta.

A água também é necessária para a existência da vida como a conhecemos, e na Terra, há organismos capazes de se adaptarem e prosperarem em condições extremas como em águas com altas concentrações de sais. Chevrier, no entanto, acredita que as condições em Marte sejam duras demais para suportar a vida.

“Se combinarmos observações com a termodinâmica da formação de salmoura e do conhecimento atual sobre os organismos terrestres, seria possível encontrar uma maneira pela qual os organismos pudessem sobreviver em salmouras marcianas? Minha resposta é não”, afirma ele.

Cratera Gale em Marte. Um fluxo de água parece ter esculpido canais, tanto no monte quanto na parede da cratera. (O Curiosity aterrou no sopé de uma montanha em camadas dentro desta enorme cratera.)

Cratera Gale em Marte. Um fluxo de água parece ter esculpido canais, tanto no monte quanto na parede da cratera. (O Curiosity aterrou no sopé de uma montanha em camadas dentro desta enorme cratera.)

Marte é frio, extremamente seco, e tem a pressão atmosférica 200 vezes mais baixa do que a Terra. Qualquer água pura na superfície seria congelada ou evaporaria em questão de minutos. Ou seja a água tanto congela quanto ferve em marte, o que na terra seria bastante incomum, em Marte é bastante normal devido à pressão atmosférica muito baixa do planeta.

Percloratos e água salgada de marte

No entanto, em 2008, a sonda Phoenix da NASA identificou sais de perclorato em amostras de solos polares do planeta vermelho. Percloratos são raros na Terra, mas eles são conhecidos para absorverem a umidade da atmosfera e diminuírem a temperatura de congelamento da água. A existência generalizada de percloratos torna possível a água líquida em Marte.

O Curiosity confirmou a existência de percloratos no solo equatorial, e observações detalhadas de umidade relativa e temperatura do solo em todas as estações marcianas. Com esses dados em mãos, Chevrier e Rivera Valentin foram capazes de concluir que salmouras líquidas pode existir atualmente em Marte.

Embora a água salgada de Marte não seja capaz de suportar a vida, ela tem implicações para futuras missões tripuladas que precisam criar recursos de sustentação da vida, como a água o oxigênio no planeta, afirma Chevrier. Há também a possibilidade de que a vida existiu em Marte num passado remoto.

“Precisamos entender o meio ambiente mais antigo”, acrescentou. “O que estava acontecendo 4.000 milhões anos atrás?”

Referencias

  1. F. Javier Martín-Torres, María-Paz Zorzano, Patricia Valentín-Serrano, Ari-Matti Harri, Maria Genzer, Osku Kemppinen, Edgard G. Rivera-Valentin, Insoo Jun, James Wray, Morten Bo Madsen, Walter Goetz, Alfred S. McEwen, Craig Hardgrove, Nilton Renno, Vincent F. Chevrier, Michael Mischna, Rafael Navarro-González, Jesús Martínez-Frías, Pamela Conrad, Tim McConnochie, Charles Cockell, Gilles Berger, Ashwin R. Vasavada, Dawn Sumner, David Vaniman. Transient liquid water and water activity at Gale crater on Mars. Nature Geoscience, 2015; 8 (5): 357 DOI: 10.1038/ngeo2412
Compartilhe issoShare on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on StumbleUponShare on LinkedInShare on RedditEmail this to someoneShare on Google+

Escrito por Equipe de Redação Ciências e Tecnologia

Um comentário

  1. Gilberto Fernandes Teixeira

    Era de se esperar encontrar água congelada na superfície de Marte uma vez que quanto mais longe do sol menor é a quantidade de calor que o planeta recebe. Mais pelo que parece, se ela existir estará nos subterrâneos do planeta vermelho. Porém, existem muitas teorias sobre a origem da água na Terra e nenhuma delas ainda foi comprovada como sendo verdadeira. A analise do solo revelou ter cerca de 2% de água, ou seja, em 0,03 metros cúbicos de solo marciano, o que corresponde aproximadamente a um bloco com um pé de largura, altura e profundidade, é possível obter 0,47 litros de água. Uma quantidade muito pouca para oferecer vida já que nestas condições o planeta se apresenta inóspito.

Seu comentário é bem vindo

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*