Ciências e Tecnologia » Biologia » Como funcionam os repelentes eletrônicos de mosquitos e insetos

Como funcionam os repelentes eletrônicos de mosquitos e insetos

Mosquitos, pernilongos e outros insetos voadores são quase sempre um inconveniente principalmente na hora do nosso sono, existem diversas maneiras de mantermos tais insetos afastados, como o uso de repelentes químicos (incluindo os repelentes naturais como a citronela), repelentes eletrônicos, inseticidas, dentre outros. Mas um dos métodos preferidos por sua praticidade e segurança são os repelentes eletrônicos.

Insetos e Pernilongos

Como funcionam os repelentes eletrônicos?

Os repelentes eletrônicos geralmente montados em uma caixa plástica, possuem um princípio relativamente simples. Eles possuem uma resistência elétrica, o efeito joule por sua vez se encarrega de produzir calor, que aquece uma pastilha. Essa pastilha normalmente composta de acetato e impregnada com uma alguma substância que atua como repelente geralmente D-aletrina (um piretróide sintético, de baixa toxicidade e DL50 em camundongos nula, mas que é extremamente tóxico para peixes e alguns insetos adultos). Ao alimentar o circuito com energia e a resistência começar a produzir calor, a D-aletrina começa a se propagar pelo ambiente atuando como um repelente.

Como funcionam os repelentes eletrônicos contra insetos e pernilongos

Alguns insetos possuem antenas capazes de detectar substâncias químicas que possam ser nocivas para seu sistema, essas antenas detectam mesmo ínfimas quantidades que não são letais para o inseto, e quando percebem a substância propagada pelo repelente eletrônico, fazem com que o inseto se afaste. Animais vertebrados e crustáceos são muito menos sensíveis à esse tipo de substância, de modo que elas não fazem mal para os seres humanos e maioria dos animais domésticos (não incluímos nisso os exóticos).

Essas substâncias conhecidas como piretróides são rapidamente degradadas quando no solo e em plantas e instáveis na luz, ar e condições alcalinas. Geralmente não deixam resíduos em plantas e nos alimentos, porém podem ter um alto potencial alergênico.

Repelentes ultrassônicos e frequências sonoras realmente funcionam?

Repelentes ultrassônicos e frequências sonoras realmente funcionam?Não é incomum encontrarmos dispositivos e aplicativos de celular ou computador que prometem espantar não só insetos como pernilongos, mas também ratos, morcegos, baratas, e se bobear até seres humanos. Tais “engenhocas” emitem frequências entre 30kHz a 55kHz que supostamente deveriam deixar esses animais atordoados.

Tais repelentes eletrônicos que usam som e frequências para manter as pragas longes não são novos no mercado, porém tão longa é a sua controversa quanto à eficácia. Uma simples busca na internet revela centenas de pessoas reclamando de terem adquirido tais produtos e não terem visto os resultados.

O que ocorre é que não estamos falando de algo que não tem estudos que comprovam seu funcionamento, e sim de algo que comprovadamente não funciona.

Estudos que refutam os repelente sonoros

O Dr. Roger Gold, professor de entomologia da Universidade Texas A&M , junto com sua equipe estudaram e testaram por duas décadas se poderia haver alguma correlação entre o som e algum efeito na eliminação de insetos. E eles afirmam que tais “tecnologias”, não passam de pseudociência.

O Professor Doutor Eduardo Novaes Ramires, da Universidade Tuiuti do Paraná, depois de estudar durante mais de 18 anos esses equipamento afirma com certeza que nenhum deles funciona.

Outros estudos realizados pela Universidade da Florida, além de muitos outros como os da Dra. A. Ali Enayati, professora de entomologia médica da Universidade Mazandaran de Ciências Médicas da Sari, no Irã. Em 2007, a Doutora analisou 10 estudos realizados na América do Norte, Rússia e África. Todas as pesquisas provaram que não há variação no número de mosquitos que pousaram sobre o corpo desprotegido de seres humanos sobre atuação ou não de um repelente sonoro.

Em 1996, Wayne J. Crans, Professor Associado de Pesquisa em Entomologia da Universidade Rutgers – em Nova Jersey, EUA -, também analisou diversos estudos a respeito da ineficácia dos repelentes sonoros para insetos.

Outros estudos que comprovam a ineficácia dos repelentes sonoros no Living With Bugs, no Pennsylvania’s West Nile Virus Control e no Alphamon.

 Referências

  1. RAMIRES, E N. Repelentes Sonoros. Disponível em <//www.pragas.com.br/noticias/destaques/repelentes_sonoros.php>. Acesso em 04/02/2014.
  2. Center For The Advancement Of Health: (18 de abril de 2007). “Electronic Mosquito Repellents Don’t Work, Say Researchers”. Disponível em <www.sciencedaily.com/releases/2007/04/070417194230.htm>. Acesso em 04/02/2014.
  3. CRANS, W J. “Products and Promotions That Have Limited Value for Mosquito Control”. Disponível em <//www.rci.rutgers.edu/~insects/proprom.htm>. Acesso em 04/02/2014.
  4. DEANGELIS, J. “Electronic/Ultrasonic Pest ‘Repellers'”. Disponível em <//www.livingwithbugs.com/electron.html>. Acesso em 04/02/2014.
  5. UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO. Inseticidas piretróides. Disponível em <//ltc.nutes.ufrj.br/toxicologia/mXII.piret.htm>. Acesso em 04/02/2014.
Compartilhe issoShare on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on StumbleUponShare on LinkedInShare on RedditEmail this to someoneShare on Google+

Escrito por George Cruz

Técnico em química, programador, graduando em engenharia mecânica, um amante do conhecimento, da boa música e da arte.

11 Comentários

  1. Comprei um equipamento eletrônico e ele é ótimo para afastar principalmente pernilongos.
    Antes usávamos repelente para ficar a noite na piscina e churrasqueira. Agora não há mais necessidade.
    Acredito que devem haver outros insetos que são repelidos pois, desde que instalamos o equipamento, a quantidade de insetos que caem na piscina diminuiu cerca de 80%.
    Acredito que a preocupação maior seria saber se realmente não há riscos para as pessoas.
    Estamos usando o equipamento há quase um mês.

    • Por favor, me passe a marca e o modelo deste aparelho.

    • Gostaria Q me informasse o modelo adquirido. Tenho problemas com invasão de abelhas na área da piscina e comprei um repelente ultrassonico ecológico funcionamento a energia solar. Preciso tentar todas as possibilidades pq tenho crianças sofrendo com ferrão, diariamente.

  2. O sucesso poderia estar associado com uma época de menos insetos mesmo. A cliente afirmou que está usando há um mês. Para comprovar a eficácia, é necessário observar se a longo prazo esses efeitos continuam.

  3. Francisco Henriques

    Marli,
    afinal de contas qual a marca e modelo do aparelho.

    att.

  4. Pedro daSilva

    Gostaria mesmo de conhecer as marcas eficientes, só assim deixaria o uso de quimicq.

  5. Uso aparelho eletrônico para pernilongos há mais de 2 anos no meu quarto e o mesmo funciona. Tanto que acabei de comprar mais 2, agora mais potentes para insetos e roedores , para usar na casa toda. Percebo que a eficiência é em torno do que o colega comentou, 80% no minímo.As vezes a teoria na pratica é outra, que me desculpem os pesquisadores citados na matéria.

  6. Porra, Marli!

  7. Boa tarde.
    Alguém poderia citar qual aparelho seria, esse que funciona?

  8. Projeto ciência e tecnologia, provavelmente financiada pela Bayer kkkķk

Seu comentário é bem vindo

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*


Como funcionam repelentes eletrônicos, repelentes sonoros ou ultrassônicos realmente funcionam contra pernilongos, ratos, mosquitos e insetos? frequencias