Ciências e Tecnologia » Astrofísica e Astronomia » Heliosfera | Você sabe o que é a heliosfera?

Heliosfera | Você sabe o que é a heliosfera?

Embora o sol contenha aproximadamente 98% da massa total do sistema solar. Ele não seria o maior objeto que ocupa o nosso sistema. Estudos mostram que a heliosfera – região periférica do sol, se estende a uma distância de 100 U.A (unidades astronômicas) a partir do sol.

Uma corrente de partículas carregadas que circulam pelo sol em todas as direções, inflam e se transformam numa bolha gigantesca, que é a chamada de heliosfera.

Ao invés de ficar estática no espaço, nosso Sistema Solar se move velozmente ao redor do centro da Via Láctea, e colide com “ventos interestelares,” uma chuva de partículas emitidas por outras estrelas e pelo centro galáctico.

Em um determinado ponto, ainda não localizado no espaço, o vento interestelar e o vento solar se encontram, equilibram suas pressões e determinam a fronteira do Sistema Solar.

Formato da heliosfera

Desta forma, quando é traçada a fronteira do Sistema Solar, é feito o desenho do formato da heliosfera. Esse formato tem sido alvo de debates há muitos anos. Os únicos dados disponíveis até hoje, haviam sido coletados pelas sondas Voyager, o primeiro objeto construído pelo homem a deixar o Sistema Solar.

O formato da heliosfera, por exemplo, ainda não encontrou um consenso entre os cientistas. Os resultados são absolutamente extraordinários, com emissões que não podem ser explicadas por nenhuma teoria existente, diz McComas, cientista da NASA.

Entretanto, como a faixa parece ter seu desenho traçado pelo campo magnético interestelar, fora da heliosfera, as observações sugerem que o ambiente interestelar tenha muito mais influência sobre o formato da heliosfera do que qualquer teoria existente até hoje tenha proposto.

heliosfera

Diagrama da heliosfera no sistema solar.

Fronteira do Sistema Solar

Viajando em direções opostas, as sondas fizeram descobertas surpreendente ao cruzar a fronteira do Sistema solar. Porém, pelos seus instrumentos serem antigos, e o fato de tomarem medidas de apenas dois pontos de uma “bolha” de proporções extraordinárias, não há dúvidas de que os dados pontuais eram insuficientes para qualquer conclusão definitiva. Contudo, há de se dizer que eventualmente tudo atinge a superfície do sol, e não há nada que possa impedir a luz solar, as partículas carregas e o campo magnético de andar pelo espaço. Os buracos nas camadas superiores da atmosfera do sol vazam continuamente esse vento solar. E o sol, por vezes, tem episódios onde rajadas de campos magnéticos de até 1 bilhão de toneladas são atiradas da sua superfície a milhões de quilômetros por hora.

O campo magnético da Terra e sua atmosfera densa nos protegem dos piores efeitos dessas explosões que os cientistas chamam de heliosfera.

Essa corrente de partículas carregas e as linhas de campo magnético fluem em torno de nós e viajam além de Plutão. A heliosfera “consome” energia depois que sai do sol, e por isso ela termina em algum lugar, no entanto, ninguém sabe ao certo onde é esse local. Mas essa bolha magnética solar fica em algum ponto demasiadamente fraca para empurrar para trás o vento interestelar.

A única coisa que sabemos é que a heliosfera é a maior estrutura continua em nosso sistema solar.

Compartilhe issoShare on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on StumbleUponShare on LinkedInShare on RedditEmail this to someoneShare on Google+

Escrito por Equipe de Redação Ciências e Tecnologia

Seu comentário é bem vindo

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Estudos mostram que a heliosfera – região periférica do sol, se estende a uma distância de 100 U.A (unidades astronômicas) a partir do sol.