Ciências e Tecnologia » Astrofísica e Astronomia » M60-UCD1 | Decobertas evidências da galáxia mais densa já obeservada

M60-UCD1 | Decobertas evidências da galáxia mais densa já obeservada

É um caso de romance policial cósmico: O que aconteceu com todas as estrelas externas em M60-UCD1, uma galáxia anã ultra-compacta localizado a 54 milhões de anos-luz de distância, perto da margem da brilhante galáxia M60 na constelação de Virgem?

M60-UCD1 pode ser a galaxia mais densa já observada

Galáxia mais densa descoberta nas vizinhanças da Via LácteaApesar do título diminutivo esta galáxia anã está escondendo um monte de massa dentro dela – a pequena galaxia é recheada com mais de 200 milhões de vezes a massa do Sol, fazendo M60-UCD1 uma das mais densas galáxias locais já descobertas, se não a galaxia mais densa ja observada. Além disso, mais da metade dessa massa é encontrada dentro de uma região de apenas 160 anos-luz de diâmetro. Há estrelas 25 vezes mais perto do que isso em nossa vizinhança da Via Láctea.

“Viajar de uma estrela para outra seria muito mais fácil em M60-UCD1 do que na nossa galáxia”, disse Jay Strader da Universidade Estadual de Michigan, primeiro autor de um novo livro que descreve estes resultados.

Imagine a distância entre o Sol e a estrela mais próxima de nós, a Alpha Centauri – são 4 anos-luz, agora, imagine 10 mil estrelas do tamanho do nosso Sol amontoadas nesse mesmo espaço, esta é a densidade de uma galáxia supercompacta que acaba de ser descoberta por uma equipe internacional de astrônomos.

A questão é: como M60-UCD1 se tornou tão densa? Será que ela originalmente se formou como um aglomerado de estrelas lotado? Ou é o que sobrou de uma galáxia ainda maior que teve suas estrelas exteriores roubadas durante um encontro com outra galáxia?  Isto é o que a visão de raio-x do observatório espacial Chandra da NASA deve responder.

A descoberta de M60-UCD1

M60-UCD1 | Decobertas evidências da galáxia mais densa já obeservadaApós a sua descoberta com o Telescópio Espacial Hubble, a galáxia anã super-densa foi observada com Chandra. Dentro dela, o Chandra viu uma fonte de raios-x brilhante que pode indicar a presença de um buraco negro supermassivo central de 10 milhões de vezes a massa do nosso sol.

Uma vez que buracos negros supermassivos não são encontrados nos aglomerados de estrelas que conhecemos, então é muito provável que, se a fonte de raios-x é de fato um buraco negro supermassivo. Há chances de que M60-UCD1 uma vez que tenha sido uma enorme galáxia até 200 vezes mais maciça do que é agora, mas suas estrelas foram perdidas em uma colisão galáctica em algum ponto.

Fontes e Referências

Créditos das imagens NASA / Hubble e Chandra

Compartilhe issoShare on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on StumbleUponShare on LinkedInShare on RedditEmail this to someoneShare on Google+

Escrito por Equipe de Redação Ciências e Tecnologia

Um comentário

  1. Eugenio Ribeiro

    Ótimo post. Continuem fazendo isso. 😀

Seu comentário é bem vindo

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

M60-UCD1, uma galáxia anã ultra-compacta localizado a 54 milhões de anos-luz de distância, perto da margem da brilhante galáxia M60 na constelação de Virgem