Ciências e Tecnologia » Biologia » 3 Incríveis espécies de peixes estranhos e fora do comum

3 Incríveis espécies de peixes estranhos e fora do comum

O Peixe-lua, cuja espécie é Mola mola é o maior peixe ósseo conhecido que pode atingir mais de 2 mil quilos, chegando aos 4 metros de comprimento. Seu diferencial está no formato circular do corpo e nos movimentos sincronizados das barbatanas dorsal e anal, já que o animal não possui barbatanas caudais. Quando observado próximo à superfície pode ser confundido com um tubarão devido à sua grande proporção corporal, no entanto o Peixe-lua chega a ser tão lento, que está incluso na dieta dos grandes predadores marinhos e torna-se presa fácil para os tubarões.

Peixes incríveis - Peixe LuaO peixe-lua habita as zonas temperadas e quentes dos Oceanos Atlântico e Pacífico e também pode ser observado na bacia do Mediterrâneo. Alimenta-se de zooplancton e pequenos peixes e migram para próximo das praias quando estas estão enfestadas de medusas, plânctons e salpas.

Muitas vezes é avistado boiando próximo a superfície na tentativa de aquecer o corpo depois de mergulhos prolongados em grandes profundidades. É nesta hora que o peixe atrai aves para parasitar em seu corpo que serve de moradia para centenas de parasitas. Cerca de 50 espécies de micro-organismos fixadas no peixe lua já foram identificadas pela comunidade científica.

As fêmeas da espécie podem produzir 300 milhões de ovos a cada vez, posteriormente liberados na água e fecundados pelos machos. Os filhotes nascem transparentes e milimétricos, passam por um estágio onde perdem a barbatana caudal e ganham espinhos conspícuos.

Peixes estranhos - Peixe Lua

Em alguns lugares do planeta a carne do Peixe-lua é muito consumida, o que poderia estar causando no momento, o declínio de sua população.

No Brasil o Peixe-lua já foi encontrado em Praia Grande (SP), ao enrolar-se em uma rede de pesca. O exemplar chegou morto na areia da praia. Outro animal da mesma espécie também já foi capturado acidentalmente em uma rede de pesca de Bertioga (SP) e pesava pouco mais de 250 quilos.

O peixe com cabeça transparente

O Macropinna micróstoma, conhecido desde 1939 possui a cabeça transparente e os olhos em formato tubular. Seu habitat está a 800 metros de profundidade. O curioso do peixe – além da cabeça transparente – está na posição das narinas e dos olhos. Os pontos pretos que vemos na parte frontal que parecem ser os olhos do animal, na verdade são as narinas. Os olhos tubulares correspondem às partes verdes com um fluído brilhante vista na parte superior da cabeça que ajudam a captar mais luz sem aumentar muito o tamanho do órgão.

A espécie permanece grande parte do tempo imóvel, e desloca-se apenas para buscar a refeição. Sua dieta é baseada em pequenas águas-vivas. São poucas as informações sobre a espécie, mas sabe-se já que os pigmentos amarelos do peixe, que deixam seus olhos verdes, filtram a restrita quantidade de luz solar que chega ao seu habitat e acabam ressaltando a bioluminescência dos organismos.

Peixe com a cabeça transparente

Ao observar uma água-viva bioluminescente flutuar por cima de sua cabeça, ele começa a usar suas nadadeiras para direcionar a sua boca para cima, sem tirar os olhos da presa. Ao se aproximar, os tentáculos venenosos da água-viva podem até tocar o peixe, mas seu ‘escudo’ transparente protege seus olhos. Todos os exemplares capturados até hoje possuíam cnidários em seus estômagos.

Peixe-Tigre-Golias

O Peixe-Tigre-Golias, pertence à família Characidae, a mesma das piranhas e tão perigoso quanto elas. O animal enorme costuma pesar cerca de 50 quilos e tem uma boca com 32 dentes bem afiados.

Originário da África Central, está presente no rio Congo e seus afluentes. É um autêntico carniceiro de água doce, seus ataques são de extrema agressividade seguidos de largas corridas e grandes saltos. Alimentam-se de peixes, animais que estejam a beira d’água, e até animais tão grandes quanto eles.

Peixe-Tigre-Golias

Por ser um peixe que caça em águas turvas depende em grande parte da sua linha lateral para a detecção de presas. A sua reprodução acontece sempre no verão nas margens dos rios e lagos onde habita. Depois de fecundada a fêmea deposita milhares de ovos nas margens do rio, os quais eclodem ao fim de 2 a 4 dias sem qualquer tipo de cuidado, iniciando sua vida desde já pelo instinto da caça onde os mais ágeis vão sobreviver. A sua dieta nos primeiros dias consiste em zooplancton e larvas de insetos, passando rapidamente à ingestão de pequenos peixes. Até tronarem-se adultos são vitimas frequentes de crocodilos, peixes predadores e aves. Ao atingir sua maturidade o único predador conhecido torna-se o homem.

Compartilhe issoShare on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on StumbleUponShare on LinkedInShare on RedditEmail this to someoneShare on Google+

Escrito por Thiago Cardoso

Estudante de Engenharia Ambiental
Curte viajar pelo Brasil, apreciar e registrar as mais belas imagens naturais do país e conhecer modos de vida diferentes.

3 Comentários

  1. sao enteresantes mais sao feio pra coranba

  2. Manuel Fernandes

    O alimento principal do peixe-lua é as águas vivas. Esta é a razão porque não precisa tem velocidade e também porque é a carne é altamente tóxica. É preciso proteger esta espécie porque as águas-vivas podem matar.

Seu comentário é bem vindo

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

fotos de Incríveis espécies de peixes estranhos e fora do comum, o peixe-lua, o peixe com a cabeça transparente e o bizarro peixe-tigre-golias