Ciências e Tecnologia » Biologia » Polietilenoglicol | Polímero atua contra o suor

Polietilenoglicol | Polímero atua contra o suor

O Prêmio Jovem Cientista 2012 prestigia uma estudante mineira pelo desenvolvimento de um “tecido inteligente” capaz de controlar a temperatura do corpo, diminuindo o suor.

Suor, nunca mais?!?

Suor excessivo

Suor excessivo

Não é a sensação mais agradável do mundo ficar transpirando e suando, seja por prática esportiva, aumento da temperatura ambiente ou em casos de distúrbios nervosos, causados pela ansiedade ou stress. E pra piorar, ainda existe o leve desconforto social; aparecer todo “molhado” é constrangedor e, muitas vezes, encarado como falta de higiene e assepsia. Nos casos de distúrbios nervosos, algumas técnicas são recomendadas para a diminuição do suor, tais como a aplicação de toxina butolínica (botóx), com ação paralisante das glândulas; uso de desodorantes com sais que impedem o suor ou, em último caso, intervenção cirúrgica.

Os polímeros, desde o início de seu desenvolvimento, visam a melhoria de vida das pessoas. O polietilenoglicol chamou à atenção de químicos e pesquisadores por causa de suas vastas propriedades: baixa densidade, solubilidade em meios polares (por exemplo, a água) e meios apolares (resinas e óleos, por exemplo) e baixíssima toxicidade. Diante de tantas propriedades interessantes, pesquisadores na área de biomateriais se interessaram em utilizar o polímero, por não notarem rejeição em tecidos. A estudante de Design de Produtos Priscila A. Loschi, pesquisou as propriedades desse material e desenvolveu um “tecido inteligente”, material capaz de absorver o calor do corpo.

Funciona assim: O polímero (polietilenoglicol) é preso às fibras do tecido e quando há aumento de temperatura corpórea, o polímero absorve o calor e torna-se líquido, impedindo que haja formação de suor. Por outro lado, à medida que a pele resfria, o calor é liberado e o polietilenoglicol torna-se sólido novamente. Esse vai e vem de calor faz com que as pessoas que utilizarem o tecido não sintam a pele nem a roupa molhada.

Mais uma vez, a química gerando tecnologia para proporcionar conforto e qualidade de vida às pessoas. Isso é sensacional!!! Vale agradecer o incentivo dado às pesquisas pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Fontes e Bibliografia

 

 

Compartilhe issoShare on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on StumbleUponShare on LinkedInShare on RedditEmail this to someoneShare on Google+

Escrito por Mailson de Queiroz

Químico e amante dessa ciência, assim como tudo que se conecta a ela... Mestre em Engenharia de Materiais e um professor que acredita na força de educação para mudar o mundo... Enfim, louco por ciências, apaixonado pelo conhecimento e, acima de tudo, cada vez mais um eterno aprendiz...

Seu comentário é bem vindo

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Prêmio Jovem Cientista 2012 prestigia estudante mineira pelo desenvolvimento de um “tecido inteligente” capaz de controlar a temperatura do corpo