Ciências e Tecnologia » Tecnologia » Engenharia » Bio Laca | Revestimento de latas de alimentos feito com pele de tomate

Bio Laca | Revestimento de latas de alimentos feito com pele de tomate

Cientistas e engenheiros se reuniram na Europa em busca de um novo material para ser usado no revestimento de latas de alimentos, já que o atual usa bisfenol A, e provoca uma série de danos à saúde. O projeto chamado de Biocopac resultou na criação de um novo composto feito a partir de restos de cascas de tomate.

Como são revestidas as latas atualmente

As latas metálicas utilizadas para armazenar alimentos para a venda e consumo, precisam ser revestidas como um tipo de verniz ou laca (a laca é uma resina obtida de plantas da família das anacardiáceas), que apresente propriedades biologicamente inertes e não traga riscos à saúde.

O composto atualmente utilizado no revestimento, o bisfenol A, é suspeito de provocar varias complicações e riscos à saúde, e por precaução, vários países-  inclusive o Brasil – optaram por proibir a importação e fabricação de mamadeiras que contenham Bisfenol A, considerando a maior exposição e susceptibilidade dos indivíduos usuários deste produto. Esta proibição está vigente desde janeiro de 2012 e foi feita por meio da Resolução RDC n. 41/2011.

Para as demais aplicações, o BPA ainda é permitido, mas a legislação estabelece limite máximo de migração específica desta substância para o alimento que foi definido com base nos resultados de estudos toxicológicos.

O projeto biocopac e as latas de pele de tomate

O objetivo do projeto é desenvolver um bio-laca para a proteção de embalagens de alimentos de metal para atender a demanda de produção sustentável e para a proteção da saúde do consumidor, ao mesmo tempo, aumentar a competitividade da indústria de latas de metal, valorizando os resíduos produzido pela indústria de conservas e redução de resíduos. Fazendo um melhor uso dos recursos agro-alimentares  e renováveis​​ (que geralmente são tratados como rejeitos na produção de molhos na industria alimentícia), e permitirá negócios para entregar crescimento sustentável aos benefícios ambientais.

O núcleo de pesquisa é o desenvolvimento de uma laca natural obtida a partir de processamento de tomate de subprodutos industriais (peles), para ser aplicada sobre as superfícies internas e externas de latas para alimentos.

A pesquisa inicia-se com a análise e a caracterização dos resíduos de tomate, que conduz à formulação de bio-lacas aplicáveis ​​aos materiais de metal em linhas de produção normais. Os novos vernizes tem como principal componente a cutina biopolímero extraído da cutícula da fruta, por meio de um método optimizado e padronizado.

Projeto que transforma as cascas de tomate em vernizes para a industria de latas de alimentos

Imagem reprodução: biocopac project.

Após a avaliação das propriedades físico-químicas e da higiene para a saúde dos novos vernizes produzidos (de acordo com a legislação da união europeia), a sua adequação será confirmada pela produção de latas e da embalagem para os principais produtos alimentares. Deste modo, no final do projeto, será possível ter uma indicação completa como com a utilização das novas lacas em contato com os produtos alimentares e as suas vantagens econômicas e ambientais.

Referências

  • Projeto Biocopac. “Biocopac, Development of bio-based coating from tomato processing wastes intended for metal packaging” . Disponível em: <//www.biocopac.eu/>. Acesso em 08 de fevereiro de 2014.
  • Agência nacional de vigilância sanitária – ANVISA. Bisfenol A. Disponível em: <//s.anvisa.gov.br/wps/s/r/GN6>. Acesso em 08 de fevereiro de 2014.
Compartilhe issoShare on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on StumbleUponShare on LinkedInShare on RedditEmail this to someoneShare on Google+

Escrito por Equipe de Redação Ciências e Tecnologia

Seu comentário é bem vindo

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Projeto europeu (Biocopac) cria um verniz ou laca para revestimento de latas de alimentos a partir de peles de tomate que são tratas como lixo na industria