Ciências e Tecnologia » Astrofísica e Astronomia » Rígel | A gigante azul de Órion – Nebulosa Cabeça de Bruxa

Rígel | A gigante azul de Órion – Nebulosa Cabeça de Bruxa

Rígel, ou Beta Orionis (β Ori, β Órionis) é uma estrela supergigante azul, e a estrela mais brilhante da constelação de Órion (O caçador).

A estrela tem apenas 10 milhões de anos de idade, relativamente nova em comparação com o sol e seus 4,5 bilhões de anos, e devido ao seu tamanho estimado e intenso brilho, espera-se que acabe em uma supernova algum dia. Ela também tem duas estrelas companheiras, Rígel B e Rígel C.

Características de Rígel

É uma estrela variável e irregular do tipo Alpha Cygni (Alpha Cygni é o nome científico para Deneb, a estrela protótipo para este tipo de variabilidade). Sua luminosidade é tão brilhante que dispersa iluminando uma nebulosa de reflexão, chamada de nebulosa da cabeça da bruxa. Tal luminosidade torna Rígel a estrela mais luminosa na mesma região em que o Sol dentro na Via Láctea.

Certamente não poderíamos viver tão perto de Rígel, do mesmo modo que vivemos próximo ao nosso sol, porque sua temperatura de superfície é muito mais quente, cerca de 11,000 Kelvin, em contraste com 6.000 Kelvin do sol.

Tamanho de Rígel comparada ao SolToda radiação emitida por Rígel (não apenas a luz visível, mas a infravermelha, ultravioleta e assim por diante), faz de Rígel 66.000 vezes mais potente que o sol. A estrela possui uma massa de 17 M_{\odot} e um raio de 70 R_{\odot}, ou seja 17 vezes a massa do sol e 70 vezes a sua largura.

Possui uma magnitude de 0.18, sendo a 7ª estrela mais brilhante no céu, ou a 5ª se vista da América da Norte, em alguns lugares a 6ª. Rígel  está muito longe para medições precisas de sua distância por paralaxe, Alguns estudos indicam uma distância de \approx 700-900 anos-luz, a melhor estimativa é a do satélite Hipparcos em 773 anos-luz (margem de erro de 19%).

Rígel foi categorizada como um sistema binário desde de pelo menos 1831, quando foi observada pela primeira vez. Embora Rígel B não seja uma estrela fraca com uma magnitude de 6,7, a curta distância em que se encontra de Rígel A, dificulta sua observação com telescópios mais simples (considerando o fato de Rígel A ser 500 vezes mais brilhante).

Rígel um é uma supergigante variável, com uma variabilidade causada por pulsações estelares semelhantes as de Deneb, a estrela protótipo da classe alfa Cygni de estrelas pulsantes. As variações de velocidade radial de Rígel indicam que ela oscila simultaneamente em, pelo menos, 19 modos não-radiais.

Rígel e a nebulosa da cabeça de bruxa

IC 2118 (também conhecida como Nebulosa da cabeça da bruxa devido à sua forma), é uma nebulosa de reflexão muito fraca que pode ser uma remanescente de supernova ou uma nuvem de gás, iluminada por Rígel nos arredores de Orion. Situa-se na constelação de Eridanus, a  \approx 900 anos-luz da Terra. A natureza de suas partículas de poeira,  reflete melhor a luz de cor azul do que a luz de cor vermelha, o que causa a sua cor azulada característica. Observações de rádio indicam uma emissão de monóxido de carbono na nebulosa, um indicador da presença de nuvens moleculares e formação de estrelas.

As nuvens moleculares de IC 2118 provavelmente são postas aos limites exteriores da grande bolha Orion-Eridanus, um super núcleo de hidrogênio molecular soprado pelas estrelas de alta massa da associação Orion OB1. Como o super núcleo expande para o meio interestelar, as circunstâncias favoráveis ​​para a formação de estrelas ocorre. IC 2118 está localizado em uma dessas áreas.

Observando Rígel no céu

Observando Rigel no céu pela constelação de ÓrionRígel faz parte da constelação de Órion, sendo o pé esquerdo do caçador, é dai que vem o nome (Riǧl Ǧawza al-Yusra que em árabe quer dizer “Pé esquerdo de algo maior”). É uma estrela fácil de se detectar, em parte por causa de seu brilho intenso e também pela sua cor característica banco-azulado.

Para encontrar Rígel, localize primeiro a constelação de Orion. Você vai localizar primeiro as três marias, uma linha reta e curta. Estas estrelas formam o Cinturão de Órion. A linha traçada para baixo em um ângulo de 90 graus a partir do Cinturão de Orion leva você até Rígel.

Melhor visualizada no verão, no inicio da noite quando no Hemisfério Sul, e no inverno quando no hemisfério norte.

 

Compartilhe issoShare on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on StumbleUponShare on LinkedInShare on RedditEmail this to someoneShare on Google+

Escrito por Equipe de Redação Ciências e Tecnologia

6 Comentários

  1. maria bernadete medeiros

    eu deste de pequena que sempre olhei. para as estrelas no ceu. ate hoge levo nome de pessoa de nariz inpinado. eu aprendi ter o equilibrio. atrveis de um professor japoneisadoro andar olhando pro ceu. adoro pesquisa coisas do universo um grande abraço.

  2. În constelația Oreon este viață ,pe o planeta numita UOMO.Păcat ca nu dețin un telescop cu care sa urmaresc aceasta constelație in fiecare seară.

  3. gostei precisava de isso para fazer5 o meu trabalho

  4. José Rodrigues Filho

    Excelente as informações prestadas sobre Rigel.

  5. Beatriz Helena

    Achei o artigo ótimo…. vai ser ótimo para a pesquisa que estou fazendo sobre estrelas e constelações!

  6. “facinante”

Seu comentário é bem vindo

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Rígel é a estrela mais brilhante de Órion e uma das mais brilhantes da Via láctea. A supergigante azul e ilumina a nebulosa cabeça de bruxa. Observar no céu