Ciências e Tecnologia » Física » Stephen Hawking | As contribuições e obras de Hawking

Stephen Hawking | As contribuições e obras de Hawking

Nesse artigo falaremos de Stephen Hawking, um dos maiores físicos teóricos da atualidade o objetivo desse artigo não é ser uma biografia completa de Hawking, nem dissertar suas contribuições, mas sim dar ao leitor uma ideia de sua importância sem tornar a leitura exaustiva.

Stephen Hawking é um dos mais famosos físicos teóricos vivos. Ele é amplamente conhecido pelos seus trabalhos em física quântica relacionados com a origem do universo. Seu sucesso deve-se também à sua constante preocupação em expor as complexas teorias astrofísicas para um público leigo através de diversos livros de divulgação científica que se tornaram muito famosos, como o seu  Brevíssima História do Tempo que vendeu mais de 9 milhões de cópias no mundo todo.

As contribuições de Stephen Hawking

Uma das primeiras, e mais conhecidas realizações de Stephen Hawking começou em sua obra em colaboração com o matemático Roger Penrose. Nessa obra Stephen Hawking estendeu os conceitos do teorema da singularidade que ele havia explorado em sua tese de doutorado.

A inovação da abordagem de Stephen Hawking está em como ele demonstrou o conceito de singularidade na física, que inclui não só a existência de singularidades, mas também a teoria de que o universo pode ter começado como uma singularidade, ou seja, um evento único.

Em 1970, Stephen Hawking e Penrose publicaram um estudo que prova que se o universo obedece a teoria da relatividade geral e que esta é válida para qualquer modelo da cosmologia física desenvolvida por Alexander Friedmann. Nesse estudo eles desenvolvem a ideia de que o universo deve ter começado como uma singularidade normalmente apelidada de “Big Bang”.

A luta contra a doença de Stephen Hawking

Durante este período as capacidades físicas de Hawking começaram a se degenerar com resultado do avanço de sua doença degenerativa que causa a paralisia dos músculos. No início ele se recusou a usar muletas e parou de dar palestras regularmente. Hawking foi, no entanto, muito relutante à ideia de se tornar dependente por causa de sua doença. Ele não queria aceitar ajuda de outras pessoas ou fazer quaisquer concessões para sua deficiência.

Stephen Hawking no início da doenca

Stephen Hawking no início da doenca

Stephen Hawking e os buracos negros

Posteriormente a esse trabalho de renome, Stephen Hawking descobriu o que ficou conhecido como a segunda lei da dinâmica de buracos negros. Segundo essa lei o horizonte de eventos de um buraco negro nunca fica menor mesmo que sua massa seja reduzida. Em conjunto com James M. Bardeen e Brandon Carter, ele propôs as quatro leis da mecânica dos buracos negros, fazendo uma analogia com termodinâmica.

Entretanto, a pesar de sua teoria dos buracos negros ter despertado um grande interesse rapidamente na comunidade científica, ela precisou ser corrigida em diversos pontos. Hawking começou a notar por meio de cálculos e verificações astronômicas que alguns resultados contradiziam sua segunda lei do buracos negros, onde ele afirmou que o horizonte de eventos dos buracos negros nunca poderiam diminuir. Em conjunto com isso e em cooperação com físicos russos ele descreveu em 1974 um tipo de radiação que os buracos negros emitem que explicava às aparentes contradições em suas observações anteriores, sua descoberta foi batizada em sua homenagem de radiação Hawking.

Inicialmente as descobertas da radiação Hawking foi colocada em dúvida. No entanto, no final da década de 1970 suas descobertas foram amplamente aceitas como um avanço significativo na física teórica. Ao mesmo tempo começou um interesse crescente do grande público pelos misteriosos buracos negros e pelo curioso físico que os estava estudando. A partir daí a fama de Hawking começou a se expandir para além das fronteiras cientificas e ele começou a ser chamado para dar entrevistas para jornais e na televisão.

Em 1981, Stephen Hawking propôs que a informação que é tragada por um buraco negro está irremediavelmente perdida quando um buraco negro colapsa. Essa afirmação levava a um paradoxo que viola o princípio fundamental da mecânica quântica. Isto suscitou um aguerrido debate entre Stephen Hawking, Leonard Susskind e Gerard Hooft, que ficou conhecido como a “Guerra dos Buracos Negros”.

Stephen-Hawking

Stephen Hawking também teve um papel fundamental na elaboração de teorias que explicassem o desenvolvimento do universo após o Big Bang. Hawking também começou uma nova linha de pesquisa na teoria quântica sobre a origem do universo. Em 1981, em uma conferência no Vaticano ele apresentou o seu trabalho sugerindo que pode não haver nenhum limite para o começo ou para o fim do universo.

 Em 1983, trabalhando em conjunto com Jim Hartle ele propôs um modelo conhecido como o Estado Hartle-Hawking. Segundo esse modelo o universo não tinha limite no espaço-tempo antes do Big Bang, ou seja, o tempo não existia e o conceito do início do universo é sem sentido. Isto alterou bastante sua ideia inicial baseada no conceito de singularidade da teoria da relatividade geral.

Assim, os modelos clássicos do Big Bang foram substituídos por uma modelo distinto que pode ser explicado por uma analogia. Considere que uma pessoa pode pretender viajar para o Polo Norte, e começar a caminhar em direção a ele. Entretanto, não há uma fronteira específica que determina se ela chegou ou não ao Polo Norte. O Polo Norte não é simplesmente o ponto onde todas as linhas que seguem para o norte chegam ao fim.

Stephen Hawking foi bastante enfático sobre as consequências de suas visões cosmológicas sobre a existência de Deus. Como Hawking explicou:

Se o universo não tem limites, mas é autossuficiente, então Deus não teria tido qualquer liberdade de escolher como o universo começou.

Em 2011, ao narrar o primeiro episódio da série de televisão americana Curiosity no Discovery Channel, Hawking declarou:

Estamos cada dia mais livres para acreditar no que queremos e minha opinião é de que a explicação mais simples é que Deus não existe. Ninguém criou o universo e ninguém dirige o nosso destino. Isso me leva a uma percepção profunda. Provavelmente, não há céu, e não há vida após a morte também. Temos uma vida para apreciar o grande projeto do universo, e por isso, estou muito grato.

Compartilhe issoShare on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on StumbleUponShare on LinkedInShare on RedditEmail this to someoneShare on Google+

Escrito por Equipe de Redação Ciências e Tecnologia

10 Comentários

  1. Stephen Hawking, um grande gênio da atualidade.

  2. O cara mais foda da comunidade cientifica desde Albert Heinstein!

  3. A pessoa mais inteligente, mais esforçada, mais ilimitada quando se trata de pensamento que ja existiu em nossa realidade, em nosso seculo, se uma unica pessoa que apesar de acontecimentos pode ser tão brilhante imagine se não existisse essas barreiras no caminho dele. Tradução, esse cara pode ser dito como foda.

    • Se Hawking é tão intelingente, e cientifico, por que ele perde o seu tempo tentando provar algo pra si mesmo ou talvez para as pessoas, que jamais será eu pode ser provado, ninguém tem acesso a verdade, o que é real ou fato. Ninguem pode saber de tudo, como ele acredita que pode.
      Não só como Deus ele não pode provar que não é real, mais muitas outras coisas que não podem ser provadas.
      Pois bem como ele disse, ele acredita no que ele quer, então vemos que nada ele provou em relação ao universo, então deveriamos descartar qualquer coisa não valida de crenças no meio da ciência, inclusive as suas insinuações sobre a origem do universo, já que isso não é real para todos, é por que não pode ser provado assim como todos os humanos sabem que o ar é real.

  4. O mais falastrão de todos os tempos…. a pouquinha coisa que “descobriu”…não tem embasamento matemático nenhum….o físico pop star…kkkk

  5. Paulo Lacerda

    Estephen Howking, é a Águia que mais nos possibilita o entendimento do universo, para isto tem feito mesclas dentro da física nas áreas de cosmologia, termodinâmica, e quantica; jamais viu-se na historia da humanidade. Ele escreve para os genios da fisica que vieram antes de nós, Abandonemos o dogma religioso e passemos a ser observadores…
    A religião mais exaltada que há é o Amor, este homem ama a humanidade e por isto segue produzindo mesmo com as limitações!

  6. Paulo Lacerda

    Deus é, e por nosso muito falar, profanamos seu santo nome em vão e deixamos de o sentir, isto é, sermos os verdadeiros religiosos

  7. Pode ser um homem inteligente nos cálculos, mas não conhecedor de tudo, aliás o “tudo” ninguém jamais vai descobrir.
    Acredito que é um homem frustado com que a vida lhe proporcionou, então tem que achar um culpado no caso “Deus” e ficar atacando com suas palavras tolas.

  8. Huseyn Qurbanov

    Logically complete cosmological concept. /due to lack of knowledge of the English language was not able to correct the translation Implemented by Google/

    In order to present the unlimited space originally:
    1. homogeneous – enough to postulate the presence in it of two elements with Simple and Complex /closed systematically/
    2. heterogeneous – enough to postulate the presence in it of one more element – the Most High and Almighty God – with open systematically.
    It is easy to assume that even at the lowest possible deployment of the intangible component of the essence of God – the Spirit of God – for the level of the original downwardly directed the permanent deployment of the material component of the essence of God, there is a curtailment of Simple and Complex /i.e.. It is their decay due to blocking of origin upwardly directed constantly deploy intangible components of the entity / as much as possible heterogeneous to God’s essence minimum possible number of cell uniformity (1H), and God on the basis of the material components of the 1H deploys the minimum possible heterogeneous to its essence as possible numerically elemental homogeneity (2H). Coagulation process will begin in 2H known God start time since the completion of its deployment. curtailment of the Spirit of God to the level of initial deployment again unfolds 1H – God potential for transformation 1H into 2H and 1H into 2H limitless!

Seu comentário é bem vindo

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Stephen Hawking é um dos mais famosos físicos teóricos vivos. Ele é amplamente conhecido pelos seus trabalhos em física quântica e com os buracos negros