Ciências e Tecnologia » Astrofísica e Astronomia » Hubble detecta vapor de água na lua de Júpiter Europa

Hubble detecta vapor de água na lua de Júpiter Europa

Telescópio Espacial Hubble da NASA observou vapor de água acima da região polar sul da frígida lua Europa, fornecendo a primeira evidência forte de plumas de água em erupção fora da superfície da lua.

Imagens do telescópio Hubble indicam, uma grande quantidade de vapor d’água próximo ao polo sul de Europa, talvez a mais conhecida das 64 luas do gigante gasoso Júpiter.

No passado já havia sido levantada a hipótese de um oceano sobre a superfície congelada do satélite de Júpiter.

Tal descoberta eleva a expectatica de que haja vida no satélite de Júpiter e pode tornar a pequena lua a “menina dos olhos” dos pesquisadores de astrobiologia em nosso sistema solar.

Como o Hubble detectou o vapor de água em Europa

Este é o conceito de um artista de uma nuvem de vapor de água que se pensa ser ejetada para fora da superfície gelada, da lua Europa de Júpiter, localizado a cerca de 500 milhões de milhas (800.000 mil quilômetros) a partir do sol.No polo sul da Europa, o telescópio Hubble detectou por meio do espectrógrafo uma tênue luz ultravioleta resultado de uma aurora que se formou devido ao campo magnético do satélite.

Íons de hidrogênio e de oxigênio, dão origem a um brilho específico e variável na aurora, deixando para trás vestígios de partículas de água quebradas pelos elétrons que correm em direção ao campo magnético para formar a aurora.

Segundo os cientistas envolvidos na pesquisa, embora não tenha sido encontrado volumosos jatos de água sendo lançados no espaço, há um forte indício da presença de oxigênio e hidrogênio no polo sul de Europa.

Embora os pesquisadores ainda não tenham respostas para a possível origem do vapor de água detectado pelo Hubble em Europa, uma das explicações mais plausíveis ainda são os jatos provenientes de erupções vulcânicas.

“A explicação mais simples é que o vapor d’água emergiu do subterrâneo de Europa.”

“A descoberta significa que futuramente poderemos investigar diretamente a composição química do ambiente potencialmente habitável da lua Europa sem a perfuração das camadas de gelo.”

Lorenz Roth, cientista do instituto SWRI

Fonte: NASA

Compartilhe issoShare on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on StumbleUponShare on LinkedInShare on RedditEmail this to someoneShare on Google+

Escrito por Equipe de Redação Ciências e Tecnologia

3 Comentários

  1. Tem um filme q se chama , Europa report ou Europa , q mostra q a lua de Júpiter Europa tem água e em abundância !!

  2. Pedro Caldeira Gomes

    Toda matéria formada em circulação da terra e em quantidade de reflexão intermediária ou determinada encontram-se em todo universo em graus maiores e menores de matéria condensada. Estas matéria é proporcional quando em termos específicos daquele corpo. Na lua de Júpiter “Europa” a quantidade de água formada pode ser proporcional a matéria formada quantidade essa que se propaga continuadamente, como um imã atraente de Júpiter. A eficácia da mediada da mesma água tem seu determinado campo de espaço atingido formado. Quantidade essa de matéria com densidade de grandeza específica. O ar duplamente é mais denso quando o espaço é duplo, enquanto o mesmo espaço é menor a quantidade de água é menor. Assim acontecem com outros planetas e luas quanto maior a quantidade de água é maior é aquele corpo formado com atração de seus familiares que não desencadeias para outros sistemas.

Seu comentário é bem vindo

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

O Hubble detectou vapor de água no polo sul da lua Europa, fornecendo a primeira evidência forte de plumas de água em erupção fora da superfície da lua.